POLÍTICA
01/01/2019 15:20 -02 | Atualizado 11/01/2019 08:16 -02

Bolsonaro opta por carro aberto para desfile na Esplanada

Por segurança, mistério se manteve até o último minuto. Presidente foi acompanhado pela esposa e o filho Carlos no Rolls-Royce.

Ricardo Moraes/Reuters
Jair Bolsonaro e sua mulher desfilam de Rolls-Royce pela Esplanada dos Ministérios.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e sua esposa, Michelle Bolsonaro, desfilaram em carro aberto pela Esplanada dos Ministérios até o Congresso Nacional, onde seria realizada a posse, nesta terça-feira (1º).

Por questões de segurança, havia dúvida se Bolsonaro desfilaria no Rolls-Royce. Além da futura-primeira-dama, o presidente eleito estava acompanhado por um de seus filhos, Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro. O carro foi escoltado pela cavalaria dos Dragões da Independência, a guarda presidencial.

Antes de entrar no carro, Bolsonaro e Michelle foram recebidos em frente à Catedral Metropolitana de Brasília pelo Padre João Firmino Galvão Neto, pároco da Catedral. Não houve cerimônia religiosa, mas o presidente eleito, que é católico, abraçou o padre.

Bolsonaro se emocionou várias vezes e acenou para a multidão que o aguardava durante todo o percurso.

Reuters
Jair Bolsonaro se emociona durante desfile em carro aberto.

Durante o cortejo, um dos cavalos da guarda tropeçou e esbarrou em outro animal. A confusão assustou Michelle, mas durou poucos segundos, sem ferir ninguém ou prejudicar o trajeto.

Na chegada à rampa que dá acesso ao Congresso, às 14h55, uma cerimonialista posicionou lado a lado Bolsonaro e o futuro vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB).

A futura primeira-dama e a esposa de Mourão, Paula Mourão, foram orientadas a ficar logo atrás. Ao chegar ao topo da rampa, os 4 foram recebidos pelos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, Eunício Oliveira (MDB-CE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), respectivamente.

Na entrada do Salão Negro do Congresso, Bolsonaro foi recebido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Na sequência, todos seguiram para o plenário da Câmara. A cerimônia de posse foi iniciada às 15h.

'Agradeço por estar vivo'

Pouco antes de sair da Granja do Torto, residência de campo da Presidência da República, onde passou o Réveillon, Bolsonaro postou um vídeo no Twitter no qual agradeceu por estar vivo - ele foi vítima de um ataque a faca durante a campanha eleitoral - e pediu o apoio da população brasileira.

"Terça-feira, 14 horas, daqui a pouco a nossa posse. Eu quero, em primeiro lugar, agradecer a Deus por estar vivo. E depois a você, cidadão brasileiro, pelo apoio e confiança em nosso trabalho. Nós pretendemos, sim, mudar o destino de nosso País. Para tanto, precisamos continuar tendo o seu imprescindível apoio."