ENTRETENIMENTO
21/12/2018 12:06 -02 | Atualizado 21/12/2018 15:42 -02

'Hakuna Matata': A petição que acusa Disney de apropriação cultural

A expressão suaíli vem gerando lucro para a Disney desde que 'O Rei Leão' estreou, em 1994.

Divulgação/Disney
Cena de 'O Rei Leão', animação premiada da Disney lançada em 1994.

O público de filmes em muitas partes do mundo associa a expressão suaíli "Hakuna Matata" ao clássico animado da Disney de 1994, O Rei Leão, mas um ativista está se mobilizando para mudar isso.

Shelton Mpala, que é de origem zimbabuense e mora em Toronto (Canadá), lançou uma petição online no início deste mês pedindo à Walt Disney Co. que renuncie à sua marca para "Hakuna Matata", chamando-a de "um ataque ao povo suaíli e à África como um todo."

Embora Mpala tenha reconhecido que a Disney é "uma instituição de entretenimento responsável por criar muitas de nossas memórias de infância", ele criticou a marca da empresa como "baseada apenas na ganância".

"Hakuna Matata tem sido usada pela maioria dos países de língua suaíli, como Tanzânia, Quênia, Uganda, Ruanda, Burundi, Moçambique e República Democrática do Congo", escreveu ele. "A Disney não pode registrar algo que não inventou."

Mais de 110.000 pessoas assinaram a petição até a tarde de quinta (20).

A petição foi lançada em novembro passado. No mesmo mês, o jornal queniano Business Daily publicou um artigo no qual a escritora Cathy Mputhia citou O Rei Leão e especificamente o uso de "Hakuna Matata" como exemplo de "exploração cultural".

Registros públicos mostram que a Disney solicitou pela primeira vez a marca ainda em 1994, o mesmo ano em que O Rei Leão estreou nos cinemas. Isso significa que a empresa pode potencialmente processar quem usar as palavras "Hakuna Matata" em qualquer produto não autorizado.

O Rei Leão tornou-se um sucesso de bilheteria e ganhou duas estatuetas do Oscar. Desde então, gerou um musical da Broadway, uma série de TV e várias sequências do filme. Uma versão live-action estrelada por Donald Glover e Beyoncé está prevista para ser lançada no próximo ano.

Um porta-voz da Disney disse ao HuffPost em um e-mail que o registro da empresa para o "Hakuna Matata", que foi apresentado em 1994, nunca impediu e nem impedirá que indivíduos usem a expressão.

"De fato, por muitos anos, marcas registradas com palavras e frases populares como 'Yahoo!', 'Vaya con Dios (Vá com Deus) e 'Feliz Natal' não impedem seu uso", continuou.

Liz Lenjo, uma advogada de propriedade intelectual e entretenimento queniana, ficou do lado da Disney na disputa.

"Os africanos do leste ou quem fala suaíli em todo o mundo não estão impedidos de usar a frase", disse ela à CNN. "Essa discussão vem esquentando por conta de mal-entendidos em torno da lei de propriedade intelectual, o ethos por trás do direito de propriedade intelectual e os vários regimes de proteção."

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.