POLÍTICA
21/12/2018 10:38 -02 | Atualizado 21/12/2018 10:38 -02

Brasil passará a exportar ‘esperança e liberdade’, diz futuro ministro das Relações Exteriores

Ernesto Araújo: “O produtor agrícola brasileiro contribui para a preservação ambiental como em nenhum outro lugar do mundo”.

Getty Editorial
Para Ernesto Araújo, “o fato de ser uma potência agrícola não nos proíbe de ter ideais e de lutar por eles”.

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, foi ao Twitter expor o que pensa sobre as novas diretrizes para política externa brasileira. A sugestão dele é que o Brasil passe a exportar "esperança e liberdade", além de continuar com o comércio de frango, soja e açúcar.

"O fato de ser uma potência agrícola não nos proíbe de ter ideais e de lutar por eles", disse.

Ele destacou nas publicações o apoio da bancada e do setor ruralista ao futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). E pontuou que há resistência de setores tradicionais na política de expansão agrícola que o governo pretende adotar.

"Querem jogar os ideais contra o povo brasileiro? Não conseguirão. O trabalho incansável, a fé, a inventividade, o patriotismo dos agricultores são a própria essência da brasilidade", disse.

Uma das principais resistências que a política a ser adotada para o setor ruralista enfrenta é mobilização de ativistas do meio ambiente que temem retrocesso no setor. O ministro, entretanto, rechaça essa preocupação.

"O produtor agrícola brasileiro contribui para a preservação ambiental como em nenhum outro lugar do mundo", diz.

O temor dos defensores do meio ambiente se sustenta em declarações do ministro, que diz acreditar que os ambientalistas formam um complô para impedir o crescimento econômico.

O presidente eleito já afirmou que há um alarmismo do ativismo ambiental xiita. Em contrapartida há dados que mostram que o governo brasileiro está em direção contrária à sustentabilidade. O desmatamento na Amazônia, segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, aumentou 13,8% entre agosto de 2017 e julho de 2018.