NOTÍCIAS
20/12/2018 12:03 -02 | Atualizado 20/12/2018 13:04 -02

IBGE: Brasileiros estão cada vez mais conectados pelo celular

Número de pessoas com acesso à internet cresceu 10 milhões em apenas 1 ano, a maioria entre idosos.

Caiaimage/TomMerton via Getty Images

O brasileiros estão cada vez mais conectados. É isso que mostra um levantamento feito pelo IBGE, divulgado nesta quinta-feira (20). O número de pessoas com acesso à internet cresceu em 10 milhões em apenas 1 ano, chegou a 126,4 milhões de usuários (69,8% da população com 10 anos ou mais). O aumento ocorreu especialmente entre os idosos (com alta de 25,9%) e por meio de telefones celulares. O principal uso da rede é a troca de mensagens.

Os dados mostram ainda que 3 em cada 4 casas tem acesso à internet, com maior crescimento no meio rural. A pesquisa, com base na Pnad 2017, indica também que cada vez mais os brasileiros estão assistindo filmes pela internet e deixando a TV tradicional de lado.

Foi detectado um desinteresse e queixas sobre o preço na contratação de TV fechada. Parte do desinteresse pode estar relacionada com a preferência por serviços destreaming, como o Netflix. O suplemento revelou que 81,8% dos brasileiros que usaram a internet em 2017 tiveram como um dos objetivos assistir a vídeos, incluindo programas, séries e filmes. Esse percentual era de 74,6% em 2016, o que significa que houve crescimento de 7,2 pontos percentuais. A pesquisa também mostrou que cresceu o uso de televisores para o acesso à internet.

"Há mais pessoas utilizando a TV, não apenas para a programação televisiva tradicional", diz Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. Ela avalia que as Smart TVs, que permitem a conexão com a web, vêm ganhado cada vez mais espaço no mercado. De acordo com a pesquisa, no último trimestre de 2017, 16,3% da população brasileira com 10 anos ou mais fizeram uso da internet por meio da televisão. Em 2016, esse percentual foi de 11,3%.

No último trimestre de 2017, 16,3% da população brasileira com 10 anos ou mais usou a televisão para acessar a internet. Em 2016, esse percentual foi de 11,3%. Esse aumento de 5 pontos percentuais foi o mais expressivo.

Tablets e computadores estão em baixa. A redução no tablet foi de 16,4% para 14,3%. A pesquisa também mostrou que de 2016 para 2017, cerca de 835 mil casas deixaram de ter um computador.

A redução no tablet foi de 16,4% para 14,3%. A pesquisa também mostrou que de 2016 para 2017, cerca de 835 mil casas deixaram de ter um computador.

Não uso

A falta de conhecimento é a principal causa para não acessar a rede mundial de computadores. O motivo foi citado por 38,5% dos entrevistados. "A população que afirma não saber usar a internet é maior na região urbana do que na região rural. Pode influenciar o fato de a região rural ter uma estrutura etária mais jovem. E apesar do acesso à internet entre a população mais velha ter crescido de forma mais expressiva, os idosos ainda são os que a utilizam em menor proporção", analisa Beringuy.

A falta de interesse foi o segundo motivo mais alegado para o não uso da internet. Ele foi mencionado por 36,7%. Somadas, não saber usar a internet e a falta de interesse foram as razões apresentadas por 75,2% das pessoas que não acessam a internet. O preço, a indisponibilidade do serviço na região e o custo do equipamento necessário para o acesso estão entre as outras explicações.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua substituiu a Pnad e a Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Por meio da pesquisa, são publicados relatórios mensais e trimestrais com informações conjunturais relacionadas à força de trabalho. Também são divulgadas informações educação e migração. Há ainda suplementos em que determinados assuntos são pesquisados com periodicidades diferentes.