18/12/2018 15:52 -02 | Atualizado 18/12/2018 15:52 -02

Projeto de Integração do Rio São Francisco: uma obra que já entrou para a história

O projeto de integração do Rio São Franscisco é a mais importante iniciativa do governo federal em temos da Política Nacional de Recursos Hídricos.

Divulgação
Projeto de Integração do Rio São Francisco: uma obra que já entrou para a história

Há milênios, o Nordeste do Brasil sofre com a seca. A circulação de ventos e água pelo planeta cria um padrão que vem se repetindo há mais de 20.000 anos, privando a região de um regime normal de chuvas. Desde os tempos do Brasil Colônia já se pensava em como solucionar esse problema, que já causou a morte de centenas de milhares de pessoas.

O imperador Dom Pedro II chegou a cogitar fazer uma obra para levar a água do Rio São Francisco, o mais importante da região, para os lugares mais afetados pela estiagem. Desde então, a integração do rio se tornou um sonho. Mais de 170 anos depois, em março de 2017, o presidente Michel Temer inaugurou a obra que mudou o Nordeste e fez história.

O projeto de integração do Rio São Franscisco é a mais importante iniciativa do governo federal em temos da Política Nacional de Recursos Hídricos. São mais de 470 quilômetros de obra linear. Ela garante segurança hídrica para mais de 12 milhões de cidadãs e cidadãos (mais do que toda a população de Portugal) em mais de 390 municípios nordestinos. O Velho Chico, como o rio é chamado pelos moradores locais, representa 70% da água disponível na região. E, desde que a obra foi inaugurada, ela chega a quem mais precisa.

Integração para mudar vidas

O Velho Chico é um antigo conhecido do nosso país. Ele foi descoberto ainda em 1501 e, desde então, vem sendo utilizado para navegação. Ele vai do Sudeste ao Nordeste, interligando as regiões. Suas águas servem para - além de irrigar e abastecer as casas dos moradores - gerar energia elétrica. Existem seis usinas hidroelétricas ao longo do percurso do rio. O São Francisco tem 168 afluentes, que se espalham por diversos estados, formando uma das mais importantes bacias hidrográficas do país.

No total, a integração tem 13 aquedutos, 9 estações de bombeamento, 27 reservatórios, e 270 quilômetros de linhas de transmissão de alta tensão. Além disso, 23 açudes serão recuperados e vão alimentar o agreste nordestino, beneficiando tanto grandes cidades (como Fortaleza, Juazeiro do Norte, Crato, Mossoró, Campina Grande, Caruaru) quanto pequenos e médios municípios.

Integrar o São Francisco significa levar suas preciosas águas para onde antes não havia abastecimento. Cinco estados são beneficiados pelo projeto: Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Foram criados dois eixos, norte e leste, para aumentar o alcance do rio e distribuir suas águas. "Foi ótimo para os agricultores daqui também. Já estão usando a água para molhar as plantas, para dar aos animais," diz Klebson Márcio Santos da Silva, morador de Salgueiro (CE).

Embora já esteja mudando vidas ao longo das cidades e comunidades atendidas pelos novos canais, a obra usa apenas 1,4% do volume total do Velho Chico.

Benefícios além da água

Essas comunidades, aliás, receberam muitos outros benefícios. O Programa de Controle de Saúde Pública capacitou agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias e lideranças comunitárias em 17 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará e Paraíba. Essas pessoas atuam educando os moradores em como prevenir riscos à saúde em suas comunidades. Esses agentes monitoraram as condições de saúde, ensinam a população a controlar a qualidade da água que consomem, a evitar doenças sexualmente transmissíveis e como prevenir acidentes.

As 848 famílias que viviam nas áreas por onde as obras passaram foram transferidas para 18 Vilas Produtivas Rurais - que contam com postos de saúde, equipamentos de lazer, saneamento básico, e escolas.

O senho do sertanejo se tornou realidade. A Integração do São Francisco, no entanto, está levando muito mais do que água para o Nordeste: com o Velho Chico vêm também o desenvolvimento econômico, social e a certeza de um futuro melhor.