POLÍTICA
17/12/2018 10:49 -02 | Atualizado 17/12/2018 10:49 -02

Governo brasileiro convida e desconvida Cuba e Venezuela para a posse

Bolsonaro: “Ele (Maduro) com certeza não vai receber (um convite para a posse)”.

SERGIO LIMA via Getty Images
Bolsonaro e o futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmaram que não há espaço para Cuba e Venezuela na posse.

O governo brasileiro convidou e desconvidou Cuba e Venezuela para a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). O convite à Venezuela, por exemplo, tem a data de 29 de novembro. A informação foi revelada pela Coluna do Estadão e confirmada pelo HuffPost Brasil.

Em nota, o Itamaraty afirmou que recebeu a recomendação para convidar todos os chefes de Estado e de Governo dos países com os quais o Brasil mantém relações diplomáticas. Em um segundo momento, foi recebida a recomendação de que Cuba e Venezuela não deveriam mais constar da lista, o que exigiu uma nova comunicação a esses dois governos.

Sem considerar o imbróglio, Bolsonaro afirmou no domingo (16) que não os convidaria.

"Ele (Maduro) com certeza não vai receber (um convite para a posse). Nem ele, nem o ditador que substitui Fidel Castro... Fidel Castro não, Raúl Castro."

Segundo o presidente eleito, a razão é a ditadura. "Não podemos admitir ditadura. O povo lá não tem liberdade."

Horas após a fala de Bolsonaro, o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, publicou no Twitter as imagens do convite e afirmou que o presidente Nicolás Maduro nunca considerou participar da posse "de um presidente que é a expressão da intolerância, do fascismo e da entrega a interesses contrários à integração da América Latina e Caribe".

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também havia afirmado que a Venezuela não tinha sido convidada.

O Itamaraty, entretanto, destaca que a organização da posse é feita em coordenação com o governo eleito. "Os atos são formalizados pelo governo atual (até primeiro de janeiro de 2019, como previsto na Constituição), após consulta à equipe que assumirá na ocasião", diz trecho da nota.