MULHERES
15/12/2018 13:11 -02 | Atualizado 15/12/2018 13:11 -02

Secretaria de Segurança Pública diz que não há prazo para João de Deus ser considerado foragido

Polícia Civil de Goiás continua buscando o médium, alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual.

EVARISTO SA via Getty Images
Médium João de Deus é alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual.

A Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil de Goiás, continua buscando o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado, não há prazo para que o médium seja considerado foragido. João de Deus já foi alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual. Sua prisão foi decretada na sexta-feira (14) pela Justiça de Goiás.

O Ministério Público de Goiás está apurando denúncias contra o médium em outros seis países. A força-tarefa criada pelo órgão foi procurada por possíveis vítimas da Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça.

A localização do médium ainda é desconhecida. Sua defesa afirmou que entrará com pedido de habeas corpus contra a decisão, que considerou "ilegal e injusta". O advogado Alberto Toron disse ainda que "a impetração do habeas corpus não exclui a apresentação do senhor João de Deus". Ele, no entanto, não informou se há planos para que o médium se apresente à polícia.

As denúncias contra João de Deus começaram a vir a público na última sexta-feira (7) quando o programa Conversa com Bial, da TV Globo, divulgou as primeiras denúncias de abuso sexual. A partir daí, outras mulheres que afirmam ser vítimas do médium começaram a procurar as autoridades e a imprensa. As denúncias já chegam a mais de 300.