NOTÍCIAS
14/12/2018 18:10 -02 | Atualizado 14/12/2018 18:10 -02

Temer assina decreto para extradição de Cesare Battisti

Na véspera, o ministro do STF Luiz Fux havia determinado a prisão do italiano, que, segundo a Polícia Federal, está foragido.

ASSOCIATED PRESS
No seu último dia de mandato, em 2010, Lula determinou que Battisti ficasse no País - ato confirmado depois pelo STF.

O presidente Michel Temer assinou, nesta sexta-feira (14) um decreto que determina a extradição do italiano Cesare Battisti, condenado por 4 homicídios na Itália na década de 1970.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Na quinta-feira (13), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux havia determinado a prisão de Battisti, que está desde 2004 no Brasil. Segundo a Polícia Federal, o italiano está foragido.

A Itália fez o primeiro pedido de extradição em 2007. Battisti foi preso naquele ano no Brasil, mas o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva postergou a decisão enquanto pôde.

Em 2009, o STF autorizou a extradição em uma decisão não vinculativa, que dava a palavra final ao presidente. No seu último dia de mandato, em 2010, Lula determinou que Battisti ficasse no País - ato confirmado depois pelo STF.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, já havia dito que faria "tudo o que fosse legal" para extraditá-lo, quando assumisse o poder.

Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália pelos homicídios cometidos quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas, nos anos 1970. Ele se declara inocente.

* Com informações da Agência Brasil