POLÍTICA
07/12/2018 14:23 -02 | Atualizado 07/12/2018 14:46 -02

Sérgio Moro escolhe chefes da Polícia Rodoviária Federal e da Secretaria de Defesa do Consumidor

Futuro ministro quer reforçar atuação preventiva em conflitos de consumidores.

“Há intenção de tentar atuar mais preventivamente nesses conflitos entre fornecedores e consumidores para tentar evitar que isso seja pulverizado em inúmeros conflitos individuais”, disse futuro ministro da Justiça.
EVARISTO SA via Getty Images
“Há intenção de tentar atuar mais preventivamente nesses conflitos entre fornecedores e consumidores para tentar evitar que isso seja pulverizado em inúmeros conflitos individuais”, disse futuro ministro da Justiça.

O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, anunciou nesta sexta-feira (7) que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) será chefiada por Adriano Marcos Furtado, atual superintendente da PRF no Paraná. Já o advogado Luciano Benetti Timm comandará a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor.

No anúncio, Moro reconheceu a importância da PRF "não só na segurança do tráfego", mas também como "importante componente do sistema de segurança pública do País" e citou a atuação dos policiais na greve dos caminhoneiros.

De acordo com o futuro ministro, Furtado é um policial de carreira que ocupou cargos de diretoria em Brasília e teve a gestão elogiada no Paraná por seus pares e comandados, assim como nas parcerias com Polícia Federal no estado.

Sobre a secretaria ligada aos consumidores, Moro disse que é uma área em que não tem muito trânsito, mas que o advogado do Rio Grande do Sul escolhido têm "formação acadêmica sólida", incluindo mestrado nessa área e cursos no exterior.

A intenção do juiz licenciado é reforçar a atuação preventiva no setor a fim de diminuir custos com resolução de conflitos individuais. "Há intenção de tentar atuar mais preventivamente nesses conflitos entre fornecedores e consumidores para tentar evitar que isso seja pulverizado em inúmeros conflitos individuais", afirmou a jornalistas.

Na próxima semana, o comandante da pasta da Justiça prometeu anunciar o próximo secretário nacional de Justiça, para fechar a equipe de secretários e diretores de departamentos, cargos de mais alto escalão ligados ao ministério.