ENTRETENIMENTO
29/11/2018 11:24 -02 | Atualizado 29/11/2018 11:38 -02

'Divino Amor', de Gabriel Mascaro, é selecionado para o Festival de Sundance 2019

Estrelado por Dira Paes e Emílio de Melo, longa será exibido na mostra competitiva do festival que reunirá 112 produções de 33 países.

Cena de 'Divino Amor', novo filme do diretor do premiado 'Boi Neon' (2015).
Divulgação
Cena de 'Divino Amor', novo filme do diretor do premiado 'Boi Neon' (2015).

Terceiro filme do brasileiro Gabriel Mascaro, Divino Amor foi selecionado para a mostra competitiva mundial do FestivalSundance 2019. O primeiro grande festival de cinema do ano - que acontece entre 24 de janeiro e 3 de fevereiro na cidade americana de Park City (Utah) – anunciou nesta quarta-feira (28) todos os filmes selecionados para participar do evento.

Ao todo são 112 produções de 33 países.

Segundo a organização de Sundance, maior mostra focada no cinema independente do mundo, a nova edição do festival é a mais diversificada da história. 45 (ou 40%) de todos os filmes anunciados foram dirigidos por uma ou mais mulheres, 40 (36%) por cineastas negros e 15 (13%) por uma ou mais pessoas que se identificam como LGBTQIA.

Coprodução entre Brasil, Uruguai, Chile e Dinamarca, o longa do cineasta pernambucano que chamou a atenção do público brasileiro com Boi Neon (2014) traz em seu elenco Dira Paes, Emílio de Melo (indicado ao Emmy pela série Psi, da HBO), Julio Machado, Thalita Carauta, Mariana Nunes, Teca Pereira e Tuna Duek.

Divino Amor compete com Dirty God, da holandesa Sacha Polak; Dolce Fine Giornata, do polonês Jacek Borcuch; Judy & Punch, da australiana Mirrah Foulkes; Koko-di Koko-da, do sueco Johannes Nyholm; The Last Tree, do inglês de origem nigeriana Shola Amoo; Monos, do colombiano de origem brasileira Alejandro Landes; Queen of Hearts, da dinamarquesa May el-Toukhy; The Sharks, da uruguaia Lucía Garibaldi; The Souvenir, da inglesa Joanna Hogg; This is not Berlin, do mexicano Hari Sama; e We are Little Zombies, do japonês Makoto Nagahisa.

O filme de Mascaro conta a história de Joana (Dira Paes), uma escrivã evangélica que tenta "salvar" casais que chegam ao cartório em que trabalha para se divorciar. Até que ela tem de lidar com uma crise em seu próprio casamento.

"É de uma alegria imensa por ser um festival nos Estados Unidos que dá voz ao cinema de arte mundial e tem sido uma plataforma de lançamento incrível de filmes brasileiros. A estreia será marcante porque o país também abriga uma forte cultura gospel, tema de fundo do filme", disse Mascaro sobre a seleção do filme em Sundance.