POLÍTICA
28/11/2018 17:56 -02 | Atualizado 28/11/2018 19:33 -02

Bolsonaro anuncia ministros da Cidadania, do Turismo e do Desenvolvimento Regional

Osmar Terra (MDB), que assumirá a pasta da Cidadania, é o primeiro político do gabinete que não pertence ao DEM nem ao PSL de Bolsonaro.

A partir da esquerda, os futuros ministros Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto (Desenvolvimento Regional), Osmar Terra (Cidadania e Ação Social) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo).
Agência Brasil e Câmara dos Deputados
A partir da esquerda, os futuros ministros Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto (Desenvolvimento Regional), Osmar Terra (Cidadania e Ação Social) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo).

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou nesta quarta-feira (28) o primeiro ministro político que não pertence ao DEM nem ao PSL, partido pelo qual se elegeu. O deputado Osmar Terra, do MDB do Rio Grande do Sul, foi indicado para o Ministério da Cidadania, que reunirá atribuições das pastas de Desenvolvimento Social, Esportes, Cultura e parte da Senad (Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas).

Bolsonaro anunciou ainda que Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, atual número 2 do Ministério do Planejamento, chefiará o futuro Ministério do Desenvolvimento Regional, enquanto o deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) será o próximo ministro do Turismo.

Dos 16 ministros que tinham sido anunciados até a terça-feira (27), metade são nomes técnicos, 4 são militares e 4, políticos. Destes últimos, três pertencem ao DEM: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde). O ex-presidente do PSL, Gustavo Bebianno também ganhou status de ministro, na Secretaria-Geral da Presidência.

Ex-ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra ficará também com a responsabilidade do programa Bolsa Família, que, segundo ele, estará focado em geração de emprego e renda a partir de 2019.

Ao contrário de seus antecessores, que sempre negociaram com lideranças partidárias cargos no futuro governo, Bolsonaro tem seguido indicações de bancadas temáticas do Congresso, como a evangélica e a "da bala", ou de aliados próximos.

Terra disse a jornalistas nesta quarta que sua indicação não partiu de seu partido, o MDB, mas de frentes parlamentares de desenvolvimento social e outras áreas.

A bancada evangélica também tinha feito indicações de três nomes para a pasta - segundo a Folha, o pastor Marco Feliciano estava entre eles -, mas Bolsonaro optou por Terra.

O anúncio de Canuto foi feito via Twitter pelo presidente eleito, que se limitou a dizer que o próximo ministro tem "ampla experiência".

O novo Ministério do Desenvolvimento Regional englobará competências atualmente de responsabilidade das pastas de Cidades e Integração Nacional. Canuto disse que vai confirmar com Bolsonaro ainda se o programa Minha Casa, Minha Vida ficará com o novo ministério.

Já o nome do deputado Marcelo Álvaro Antônio foi apoiado por todo segmento do turismo e pela bancada do setor, segundo Onyx Lorenzoni, que coordena a transição.

"O presidente sempre defendeu que, no Brasil, o governo tivesse um olhar especial para o turismo, por conta da possibilidade de geração de emprego e renda, e para que o país pudesse desenvolver esse círculo de comércio tão venturoso, como a Espanha, países asiáticos e tantos outros", disse Lorenzoni.

Integrante da bancada evangélica, Antônio está no segundo mandato e foi o deputado mais votado de Minas Gerais nas últimas eleições, com mais de 230 mil votos. Ele já foi filiado ao PRP, MDB, PR e, neste ano, se transferiu para o PSL, partido que ele preside em Minas Gerais.

Veja quem são os anunciados até agora:

> Economia

Paulo Guedes, 69 anos - guru econômico de Bolsonaro, chefiará superministério que reunirá as pastas da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio


> Banco Central

Roberto Campos Neto, 49 anos - Atual diretor e responsável pela Tesouraria no Santander Brasil, tem mestrado em economia com especialização em Finanças na Universidade da Califórnia


> Justiça e Segurança Pública

Sérgio Moro, 46 anos - juiz federal, responsável pelos processos da operação Lava Jato em Curitiba


> Educação

Ricardo Vélez Rodríguez, 75 anos - professor emérito da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Veléz, nascido na Colômbia


> Saúde

Luiz Henrique Mandetta, 53 anos - Deputado federal (DEM-MS), faz parte da Frente Parlamentar da Saúde e é ortopedista e ex-secretário de Saúde de Campo Grande


> Relações Exteriores

Ernesto Araújo, 51 anos - Atual diretor do Departamento de EUA, Canadá e Assuntos Internacionais do Itamaraty, foi recentemente promovido a embaixador e nunca chefiou uma embaixada no exterior


> Defesa

Fernando Azevedo e Silva, 64 anos - General da reserva do Exército, era assessor do presidente do STF, ministro Dias Toffoli; Serviu no Haiti


> Casa Civil

Onyx Lorenzoni, 64 anos - Deputado federal reeleito pelo DEM-RS, coordena a equipe de transição do presidente eleito


> Gabinete de Segurança Institucional (GSI)

Augusto Heleno, 71 anos - O general da reserva comandou as forças de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti e o Comando Militar da Amazônia


> Secretaria de Governo

Carlos Alberto dos Santos Cruz, 66 anos - General da reserva, comandou a Secretaria Nacional de Segurança Pública no governo Temer e também chefiou a Missão de Paz da ONU no Haiti


> Secretaria-Geral da Presidência

Gustavo Bebianno, 54 anos - Ex-presidente do PSL, o advogado foi um dos braços-direitos de Bolsonaro durante a campanha eleitoral.


> Agricultura

Tereza Cristina, 64 anos - Primeira mulher anunciada para o gabinete, a deputada federal reeleita do DEM-MS, é coordenadora da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA)


> Ciência e Tecnologia

Marcos Pontes, 55 anos - Primeiro brasileiro a viajar para o espaço, é tenente-coronel da Aeronáutica


> Infraestrutura

Tarcísio Gomes de Freitas, 43 anos - Formado pelo Instituto Militar de Engenharia, é ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).


> Turismo

Marcelo Alvaro Antônio, 44 anos - Deputado federal reeleito (PSL-MG) e integrante da Frente Parlamentar Evangélica


> Desenvolvimento Regional

Gustavo Canuto, 40 anos - Atual secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, passou pelas secretarias de Aviação Civil e Geral da Presidência da República, além da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


> Cidadania

Osmar Terra, 68 anos - Deputado federal reeleito (MDB-RS) e ex-ministro do Desenvolvimento Social do governo Temer


> Advocacia-Geral da União

André Luiz de Almeida Mendonça, 45 anos - Advogado da União desde fevereiro de 2000, ocupa desde 2016 o cargo de assessor especial do ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União


> Controladoria-Geral da União

Wagner Rosário, 43 anos - Ministro do governo Temer será mantido por Bolsonaro. É auditor fiscal e funcionário de carreira da CGU. É formado pela Academia Militar das Agulhas Negras e foi oficial do Exército.

* Com informações da Reuters e da Agência Brasil