POLÍTICA
26/11/2018 11:58 -02 | Atualizado 26/11/2018 12:19 -02

Bolsonaro escolhe general Carlos Alberto dos Santos Cruz para a Secretaria de Governo

Militar chegou a ser cotado para secretário nacional de Segurança Pública, cargo subordinado ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

AFP via Getty Images
O militar já ocupou o cargo de segurança em 2017, a convite do presidente Michel Temer.

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou o general Carlos Alberto dos Santos Cruz como titular da Secretaria de Governo. Não está definido ainda se a pasta manterá o status de ministério.

A escolha foi anunciada pelo Twitter, assim como as de outros membros da equipe.

Santos Cruz foi comandante das forças da ONU no Haiti e no Congo e estava cotado para ser novo secretário nacional de Segurança Pública, cargo subordinado ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O militar já ocupou o cargo de segurança em 2017 a convite do presidente Michel Temer. Em junho deste ano, deixou o posto para atuar como consultor da ONU.

Carlos Alberto dos Santos Cruz é o quarto militar indicado para integrar o futuro governo. Entre os ministros, general Augusto Heleno foi escolhido para o Gabinete de Segurança Institucional e o general Fernando Azevedo e Silva, para Defesa. O vice de Bolsonaro é o general Hamilton Mourão.

A Secretaria de Governo é a pasta responsável pela articulação do governo com o Congresso e atualmente é chefiada pelo ministro Carlos Marun. No governo Bolsonaro, contudo, o principal ministro nessa função será Onyx Lorenzoni, na Casa Civil.

Novos nomes da Esplanada dos Ministérios devem ser apresentados nesta semana. O presidente eleito disse que queria anunciar todos os nomes até o fim do mês. Ele vai para Brasília nesta terça-feira (27).

Ministros de Bolsonaro

Até o momento, foram escolhidos doze ministros:

1. Paulo Guedes (Economia);

2. Onyx Lorenzoni (Casa Civil);

3. Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública);

4. General Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional);

5. Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia);

6. Tereza Cristina (Agricultura);

7. General Fernando Azevedo e Silva (Defesa);

8. Ernesto Araújo (Relações Exteriores);

9. Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência);

10. Wagner de Campos Rosário (Controladoria Geral da União);

11. Luiz Henrique Mandetta (Saúde);

12. Ricardo Vélez-Rodríguez (Educação

Ainda não foram anunciados ministros da pasta de Minas e Energia, Infraestrutura (Transportes, Portos e Aviação Civil), Cidadania (Desenvolvimento Social e Direitos Humanos), Meio Ambiente e Integração Nacional (junto com Turismo e Cidades). André Luiz de Almeida Mendonça será o advogado-geral da União, mas a pasta pode perder o status de ministério.