NOTÍCIAS
26/11/2018 08:08 -02 | Atualizado 26/11/2018 08:08 -02

Palmeiras campeão: 7 fatos que marcaram o decacampeonato

Conquista do título do Brasileirão 2018 foi confirmada com uma rodada de antecedência.

Alexandre Schneider via Getty Images
Gustavo Scarpa, Deyverson e Felipe Melo (da esq. para a dir.): Trio de talentos do Palmeiras decacampeão.

O Palmeiras confirmou na tarde deste domingo (25) a conquista antecipada do título do Campeonato Brasileiro de 2018 — o décimo da História do clube — ao bater o Vasco da Gama por 1 a 0 em São Januário, no Rio de Janeiro.

Para quem não conseguiu acompanhar a caminhada alviverde desde o início da competição, vamos listar abaixo os 7 principais pontos que marcaram a chegada do decacampeonato à sala de troféus do Palestra Itália.

Planejamento

Alvo de críticas após montar um elenco milionário, mas não ganhar nada na temporada 2017, o diretor-executivo Alexandre Mattos não se abalou e repetiu a estratégia neste ano. Ele acertou em cheio: os reforços contratados pelo dirigente surtiram o efeito esperado, e o elenco multimilionário do Palmeiras sobrou diante dos rivais no Campeonato Brasileiro.

Suporte financeiro

HuffPost Brasil
Presidente da Crefisa, Leila Pereira sonha com Palmeiras campeão do mundo.

Alexandre Mattos, no entanto, não conseguiria montar um elenco tão estrelado sem um enorme aporte financeiro. E foi isso o que a Crefisa, da palmeirense fanática Leila Pereira, fez. Agora conselheira do clube, Leila sonha alto e quer investir mais do que os R$ 100 milhões colocados no Verdão em 2018 para, quem sabe, levar o time ao sonhado título mundial.

Efeito Felipão

Miguel Schincariol via Getty Images
Felipão foi o principal responsável pela arrancada do Palmeiras rumo ao título.

Apesar de todo o planejamento e dos milhões gastos pela patrocinadora, o título palmeirense dificilmente se tornaria realidade se uma peça em especial não tivesse voltado ao clube: Luiz Felipe Scolari.

O experiente treinador assumiu o comando da equipe na 17ª rodada, com o Palmeiras em 7º lugar na competição e, desde então, transformou o time, mantendo o Verdão sem uma única derrota até a chegada do título.

Moral aos desacreditados

Bruna Prado via Getty Images
Deyverson, herói da vitória que garantiu o título, cresceu no campeonato após chegada de Felipão.

Para alterar drasticamente o rumo da equipe, que nas mãos do treinador Roger Machado fazia campanha apenas mediana no Brasileirão, Luiz Felipe Scolari usou não somente seus conhecimentos táticos, mas também o lado psicológico.

Desta forma, recuperou atletas que estavam com o moral em baixa, casos do zagueiro Antônio Carlos, do lateral-direito Mayke e do atacante Deyverson, e "reforçou" o time com peças que já faziam parte do elenco, mas não estavam rendendo.

Defesa que ninguém passa

JUAN MABROMATA via Getty Images
Weverton era terceiro goleiro até a chegada de Felipão, mas virou titular com o treinador.

Dentro das 4 linhas, os fatores que levaram o Palmeiras ao decacampeonato, ironicamente, parecem ter sido tirados da letra do Hino Oficial do clube.

"Defesa que ninguém passa" é uma das frases que fez jus à música, já que a zaga palmeirense mostrou enorme segurança e foi a menos vazada da competição nacional.

Linha atacante de raça

Ricardo Moraes / Reuters
Willian fecha o Brasileiro como principal goleador do Palmeiras.

Aí outra frase tirada do Hino que ilustra o momento vivido pelo Verdão na caminhada rumo ao deca. A linha atacante do Palmeiras não apenas mostrou raça, mas também muita categoria.

Dudu, Deyverson, Borja e Willian, com a devida ajuda de Bruno Henrique e Lucas Lima, deram ao Palmeiras o ataque mais positivo da competição, fundamental para abrir vantagem sobre os rivais e caminhar para a taça.

Torcida que canta e vibra

Ricardo Moraes / Reuters
Torcedor palmeirense fez sua parte dentro e fora de casa.

"Se torcida ganhasse jogo, a China seria campeão mundial." A irônica frase, usada por torcedores de equipes que não costumam encher os estádios, cai por terra quando a torcida em questão é a do Palmeiras.

A "torcida que canta e vibra", como diz o hino, não é dona da melhor média de público do Campeonato Brasileiro de 2018 – está em 3º, atrás de Flamengo e São Paulo -, mas detém a melhor taxa de ocupação de estádio (75%).

Além disso, é, ao lado da flamenguista e da corintiana, reconhecidamente a que mais empurra o time para as vitórias nas arquibancadas, gritando incessantemente do apito inicial ao término de cada partida.

O torcedor palmeirense fecha, com chave de ouro, a série de motivos que ajudaram o Verdão a conquistar o título brasileiro de 2018 com toda a justiça. E merece celebrar domingo afora a confirmação do deca.