COMPORTAMENTO
24/11/2018 07:00 -02

12 maneiras de terapeutas lidarem com a raiva quando estão irritados

Porque mesmo os profissionais de saúde mental às vezes precisam de ajuda para administrar a raiva.

Quando ficam bravos, os profissionais de saúde mental às vezes utilizam as mesmas técnicas que ensinam a seus pacientes.
PeopleImages via Getty Images
Quando ficam bravos, os profissionais de saúde mental às vezes utilizam as mesmas técnicas que ensinam a seus pacientes.

Motoristas nos cortam no trânsito. Colegas de trabalho deixam de fazer sua parte do trabalho em projetos. Familiares publicam posts nas redes sociais que nos deixam enfurecidos. E nossa cara metade sabe exatamente como fazer para nos aborrecer ao máximo. Sentir raiva é algo que acontece com todos nós – mesmo com aquele profissional de saúde mental em quem você tanto confia e com quem faz terapia toda semana.

Você pode achar que seu terapeuta sabe superar tudo, mas mesmo ele é humano o suficiente para perder as estribeiras de vez em quando. Foi o que disse a neuropsicóloga clínica Amy Serin, co-fundadora e executiva científica chefe da The Touchpoint Solution.

"O terapeuta pode ter o conhecimento geral de como administrar a ira, mas, como acontece com todo o mundo, nosso estresse pode virar raiva em um milésimo de segundo, e quando estamos sob o efeito dessa raiva não somos imunes a ser impulsivos, temerosos ou reativos", ela disse.

Por sorte, contando com uma base de comportamentos sadios e truques de neurociência, qualquer pessoa será capaz de desligar sua raiva e voltar a sentir calma e agir racionalmente, disse Serin. Então como os terapeutas fazem quanto são atingidos por um tsunami de raiva? Conversamos com alguns para ouvir dicas de como eles lidam com a raiva quando ela se manifesta na vida deles.

1. Use a técnica do "STOP"

"Eu uso uma técnica que chamo de STOP", disse a terapeuta Katie Leikam, de Decatur, Geórgia, especializada em questões LGBTQ e dona da True You Southeast.

O método envolve a seguinte sequência: pare; respire fundo e volte ao momento presente; observe o que está acontecendo à sua volta; e siga adiante com base na informação que acaba de reunir, depois de ter tirado um instante para avaliar a situação. As iniciais das quatro partes da sequência são, em inglês, STOP, ou PARE.

"Tiro um momento para parar de ficar brava, pensar em por que estou brava, observar o que está acontecendo de fato e avaliar o que fazer a seguir", disse a psicóloga. "E isso tem sido muito útil."

2. Pense antes de agir

Tara Moore via Getty Images

A psicoterapeuta nova-iorquina Meg Josephson revela que sempre que fica com raiva, "conto até três, revejo os fatos e pergunto a mim mesma: 'Minha raiva se justifica?'".

Depois disso, ela faz questão de avaliar como seus atos vão afetar uma situação, se ela expressar raiva. "Isso ajuda a reduzir as chances de eu dizer alguma coisa impulsivamente que possa prejudicar o relacionamento", ela explicou.

3. Utilize seus sentidos

Quando ela está dominada pelo calor do momento, Daniella Bloom, terapeuta conjugal e familiar de Encino, na Califórnia, faz várias respirações profundas, inspirando pelo nariz e expirando pela boca. "Isso começa a mudar minha química cerebral, que do reflexo 'lutar ou fugir' passa para 'deixar fluir e deixar ir embora'", ela explicou.

Depois disso, ela recorre aos sentidos para superar a raiva. "Vou à rua ou ao jardim e respiro o ar fresco, ando pela calçada para dar vazão àquela energia agressiva e raivosa, cheiro um perfume tranquilizador de aromaterapia ou toco alguma música calma do Pandora ou Spotify."

4. Repasse na cabeça o que você está com vontade de dizer

Peopleimages via Getty Images

"Existe um ditado antigo segundo o qual 'os sentimentos soterrados nunca morrem', e isso se aplica especialmente à raiva", comentou o hipnoterapeuta e coach de vida Ti Caine, da Future Visioning, em Sherman Oaks, Califórnia. Ele explicou que sufocar nossas emoções pode nos fazer mal; logo, precisamos nos permitir sentir e dar vazão a elas.

Mas às vezes agir movido pela raiva do momento não é produtivo. Nesses casos, Caine recorre à imaginação. Ele sugere que a pessoa sinta a raiva e depois encene-a na cabeça. Por exemplo, imagine-se gritando com a pessoa que deixou você frustrada, em vez de gritar com ela na vida real. Repasse na cabeça o que você gostaria de dizer à pessoa se pudesse realmente dar vazão a seus pensamentos na hora.

5. Dê um pouco de espaço à raiva

"É importante criar um espaço entre a emoção e a reação. É com a reação que as pessoas se metem em problemas", disse Danielle Swim, que oferece aconselhamento e tratamento de desordens alimentares na Collide Behavioral Health, em Annapolis, Maryland.

Para ela, quando você se dá espaço para processar uma emoção, isso lhe dará tempo para desescalar e não reagir de modo exagerado. "Quando estou com raiva, algumas das coisas que faço para criar um espaço são sair para caminhar, sair com o carro, fazer algumas respirações profundas ou determinar uma hora quando vou poder reagir", disse Swimm.

Por exemplo, se é um e-mail que a deixou enfurecida, ela se dá um dia para processar o e-mail antes de escrever sua resposta. "Isso me ajuda a criar um espaço para pensar logicamente, não movida pela emoção", ela explicou.

6. Pergunte-se "por que estou com esta raiva?"

SolStock via Getty Images

Para a profissional de saúde mental e especialista em questões LGBTQ Kryss Shane, analisar por que suas emoções estão ocorrendo pode ajudar a pessoa a diferenciar uma frustração momentânea, que passará rapidamente, de algo mais profundo.

"Quando é uma coisa temporária, recuar um passo e fazer algumas respirações profundas muitas vezes já basta para acalmar o corpo e os nervos. Quando o buraco é mais embaixo, existem várias opções", ela explicou.

Ela recomenda a seus clientes medidas como ir à academia, escrever um diário, tocar música e acompanhar cantando, mas a própria Shane identificou outra coisa que, para ela, funciona sempre.

"Acredito demais em dançar para trabalhar a raiva. A combinação de dança e música que adoro geralmente me tira daquele astral de raiva ou frustração", ela comentou.

7. Respire fundo até passar

A psicóloga LeKisha Y. Edwards Alesii, dona do Center for Health and Emotional Wellness, em Durham, Carolina do Norte, usa exercícios respiratórios para combater sentimentos difíceis de trabalhar.

"A raiva inclui sinais físicos como fala rápida, tensão aumentada, respiração superficial e falas negativas a respeito da própria pessoa. Quando observo isso, respiro fundo e utilizo estratégias de mindfulness para permanecer no momento e me concentrar na respiração", ela disse.

Alesii conta que também faz o possível para evitar a raiva, antes mesmo de ela se manifestar.

"Ajo proativamente para não ficar estressada demais e assim evitar explosões de raiva. Procuro praticar relaxamentos curtinhos, de um minuto mais ou menos, ao longo do dia."

8. Faça alguma coisa sobre a qual pode se concentrar por um minuto

Uwe Krejci via Getty Images

Kari Ann Greaves, fundadora e diretora da Reflections Counseling and Consulting Services, em Wethersfield, Connecticut, faz "um minuto de mindfulness" na forma de uma caminhada rápida, tomar um copo de água gelada ou chupar uma bala de hortelã.

"Tirar um momento para me concentrar no aqui e agora me ajuda a relaxar e reorientar meus pensamentos", ela explicou. "Deixo a situação fervilhando, faço outra coisa e volto àquela situação que me provocou raiva mais tarde, se for preciso."

9. Conteste suas premissas

Crystal I. Lee é psicóloga em Los Angeles e dona da LA Concierge Psychologist. Ela observa que, quando ficamos irados, geralmente há uma premissa ou um julgamento que fazemos sobre uma situação ou uma pessoa, e é isso que nos deixa enraivecidos.

"Se uma pessoa corta à minha frente quando estou ao volante, posso supor que a pessoa é uma idiota que não tem consideração pelos outros", ela exemplificou. "Procuro, em vez disso, visualizar razões diferentes que a levaram a fazer isso. Se eu imaginar, em vez disso, que a pessoa está com pressa porque está a caminho do hospital para ver alguém que ela ama, minha raiva se desvanece."

10. Canalize a raiva para uma ação positiva

Hero Images via Getty Images

"A política frequentemente me deixa com muita raiva. Quando isso acontece, faço o possível para usar essa força energizadora para tentar modificar alguma coisa", disse Amy Bishop, terapeuta conjugal e familiar de Colorado Springs, Colorado.

Nos dias em que o noticiário a deixa muito frustrada, Bishop faz doações para uma causa ou campanha que apoia. Ou então envia e-mails, telefona ou vai ao gabinete do deputado que ajudou a eleger.

"Isso consome um pouco da energia gerada pela raiva", ela explicou.

11. Mergulhe até a raiz de sua raiva

Larry Stybel, psicólogo de Boston que presta serviços de psicoterapia através da OptiMindHealth, imagina o que ele diria no momento e então mergulha fundo. Ele se coloca três perguntas: "Isto precisa ser dito ou feito? Precisa ser dito ou feito por mim? Precisa ser dito ou feito por mim agora?"

Geralmente, ao chegar à terceira pergunta, ele ainda não conseguiu superar toda sua raiva, mas está menos propenso a reagir movido por ela. "O tempo passado entre o estímulo e a resposta é crítico para a felicidade", ele disse.

12. Coloque suas ideias em ordem

Westend61 via Getty Images

"O que funciona bem para mim é me dar um momento para colocar meus pensamentos em ordem", disse Adrienne Alexander, especialista em resolução e gestão de conflitos que trabalha em Atlanta.

Ela explicou que as palavras movidas pela raiva não podem ser desditas. Por isso ela opta por colocá-las por escrito primeiro.

"Tenho tantas mensagens de texto e tantos bilhetes escritos e então deletados, você não acreditaria!", ela contou. "É mais fácil digitar e então apagar do que recuperar-se de um desentendimento provocado por coisas ditas sob o efeito da raiva ou da frustração."

Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.