ENTRETENIMENTO
23/11/2018 13:57 -02 | Atualizado 23/11/2018 14:21 -02

Doodle do Google celebra o aniversário (e a genialidade) de Mestre Bimba

Fundador da primeira escola de capoeira do mundo, Mestre Bimba foi um dos principais responsáveis pela difusão da capoeira no País.

Divulgação
Nesta sexta-feira (23), logo clássico do buscador exibe performance de capoeiristas em frente à palavra Google.

Manoel dos Reis Machado, mais conhecido como Mestre Bimba, ganhou uma homenagem do Doodle do Google, que comemora nesta sexta-feira (23) os 119 anos de seu nascimento. O capoeirista baiano é um dos principais responsáveis pela difusão da capoeira no Brasil e fundador da primeira escola de capoeira do mundo, a Academia-Escola de Cultura Regional, localizada em Salvador.

Bimba começou a praticar a modalidade capoeira Angola aos 12 anos, quando a capoeira ainda era ilegal no País. As primeiras orientações vieram de Nôzinho Bento, mais conhecido com Bentinho, um negro de origem africana que foi capitão da Companhia de Navegação Baiana. Após o aprendizado, Bimba ensinou a modalidade durante dez anos, antes de desenvolver uma própria.

Caçula de 25 filhos, ele trabalhou na adolescência como carpinteiro, garimpeiro, almoxarife, estivador e até condutor de charretes.

Aos 18 anos, resolveu se dedicar totalmente ao estudo e prática dessa expressão cultural afro-brasileira que combina arte marcial, dança, acrobacia e música. Bimba modernizou a capoeira Angola acrescentando passos ágeis do batuque - estilo de luta africana hoje extinto que ele aprendeu com seu pai -, criando assim a capoeira regional, considerada genuinamente brasileira.

Em 1930, a capoeira deixou de ser ilegal graças à atuação de Mestre Bimba.

Dois anos depois, com a ajuda da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, ele inaugurou a Academia-Escola de Cultura Regional. Seu método inédito incluía algumas regras, como não beber álcool e não fumar. Posteriormente, o ensino da capoeira regional foi reconhecido como educação física pela então Secretaria de Educação, Saúde e Assistência Pública.

O escritor Monteiro Lobato conheceu Mestre Bimba em 1949 e lhe dedicou o conto Vinte e Dois de Marajó, que fala sobre um marinheiro capoeirista. Em 1953, após uma apresentação para Getúlio Vargas, o baiano ouviu do então presidente que "a capoeira é o único esporte verdadeiramente brasileiro".

Mestre Bimba morreu em 1974, em Goiânia, devido a um derrame cerebral.

Um de seus filhos, Manoel Nascimento Machado, o Mestre Nene, assumiu a academia de capoeira e hoje preside a Escola Filhos de Bimba da Capoeira. Em 1996, a Universidade Federal da Bahia concedeu a Mestre Bimba o título póstumo de Doutor Honoris Causa. Em 2014, a Unesco finalmente reconheceu a capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

A rica trajetória da capoeirista baiano foi retratada em 2005 no documentário Mestre Bimba: A Capoeira Iluminada. Assista ao trailer abaixo: