POLÍTICA
21/11/2018 13:10 -02 | Atualizado 21/11/2018 13:27 -02

Gustavo Bebianno é indicado por Bolsonaro para Secretaria-Geral da Presidência

Coordenador da campanha do presidente eleito, Bebianno ficará responsável por ‘modernizar o Estado’

Reuters
Bebianno presidiu o PSL, o partido ao qual Bolsonaro se elegeu, durante a campanha.

O coordenador da campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro, Gustavo Bebianno, será o ministro da Secretaria-Geral do próximo governo. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo futuro titular da Casa Civil de Bolsonaro, Onyx Lorenzoni.

Bebianno presidiu o PSL, partido pelo qual Bolsonaro se elegeu, durante a campanha e esteve cotado para chefiar o Ministério da Justiça. Ele agradeceu o convite e o "privilegio de participar dessa esquipe formada por homens sérios, patriotas, que querem o bem do Brasil".

É de responsabilidade do órgão que será comandado por Bebianno o PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) e a Secretaria de Comunicação. Para o futuro ministro, entretanto, a principal missão da pasta será modernizar o Estado, promover a desburocratização e aperfeiçoar o papel da tecnologia no governo, como o GovTech.

"Talvez pela primeira vez, (teremos) o governo federal olhando para sua atividade-fim, que é servir bem à população. Nosso interesse é que o contribuinte pagador de impostos e a população brasileira sejam bem atendidos em tudo aquilo que o governo tem a oferecer em tempos de serviço e produto."

Comunicação

Aos jornalistas na manhã desta quarta-feira (21), Bebianno afirmou que o destino da Secretaria de Comunicação ainda está incerto.

"O filho do presidente, Carlos Bolsonaro, é uma pessoa que sempre esteve à frente dessa comunicação, desenvolveu trabalho brilhante, que talvez sem ele a campanha não tivesse desenvolvido tão bem. Isso será discutido com ele, com o presidente, e esse nome será encontrado."

Carlos Bolsonaro é vereador no Rio de Janeiro. Mesmo se não assumir um posto no governo, Bebianno diz que o vereador estará perto.

Amizade

A relação entre Bebianno e Bolsonaro começou no ano passado, quando o advogado se apresentou e se ofereceu para atuar de graça em processos contra o parlamentar. Ele defende Bolsonaro no caso em o capitão reformado do Exército é réu por ter dito que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Desde então, ele passou a aconselhar o presidente eleito e a ajudar a traçar a estratégia da campanha eleitoral.

MAURO PIMENTEL via Getty Images
Gustavo Bebianno é advogado de Bolsonaro no caso em que o presidente eleito é réu por ofender a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Bebianno foi o principal nome da campanha. Ele que ficou responsável pela agenda do então candidato, por marcar entrevistas, conversar com a imprensa e por organizar encontros e atividades públicas. A decisão de participar ou não dos debates, por exemplo, teve o crivo dele.

A comunicação digital de Bolsonaro, entretanto, ficou sob o comando do filho Carlos Bolsonaro. A relação com a família de Bolsonaro, inclusive, foi alvo de desentendimentos ao longo dos últimos meses. Houve críticas no período eleitoral de que o advogado "blindava" o acesso ao então candidato.