NOTÍCIAS
16/11/2018 12:21 -02 | Atualizado 16/11/2018 12:23 -02

Brasil x Uruguai: Rivalidade e muita história cercam duelo desta sexta-feira

Amistoso que será disputado no Emirates Stadium, em Londres, servirá de preparação para a Copa América de 2019.

Peter Cziborra / Reuters
Tite comanda Seleção em mais um amistoso preparatório para Copa América.

Sete títulos mundiais, alguns dos jogadores mais caros do mundo na atualidade, "inimigos íntimos" e rivalidade. Muita rivalidade.

São esses os ingredientes do duelo amistoso entre Brasil e Uruguai, marcado para as 18 horas desta sexta-feira (16), no Emirates Stadium, casa do Arsenal, em Londres, no Reino Unido.

O encontro entre a Seleção de Tite e os comandados de Óscar Tábarez servirá como preparativo das duas equipes para a próxima edição da Copa América, que será disputada em 2019 em território brasileiro.

Brasil e Uruguai disputaram a Copa da Rússia, mas acabaram se despedindo mais cedo do que seus torcedores desejavam.

A Seleção Brasileira foi eliminada logo nas oitavas de final para a Bélgica, enquanto os uruguaios avançaram até as quartas, mas se despediram após uma derrota para a França, que acabou se tornando bicampeã mundial.

Rivalidade histórica

Andres Stapff / Reuters
Alcides Ghiggia, carrasco do Brasil na final da Copa de 1950, morreu em 2015, no aniversário do Maracanazo.

Brasil e Uruguai costumam proporcionar jogos muito emocionantes e que cativam um lugar especial no coração dos amantes do futebol.

O torcedor brasileiro – até mesmo quem apenas ouviu falar do fato - chora até hoje a perda da Copa de 1950 para os uruguaios, em evento que ficou conhecido como Maracanazo.

Os uruguaios, por sua vez, não se esquecem da atuação de gala de Romário nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994, no mesmo Maracanã, que acabou classificando a Seleção para, no ano seguinte, conquistar o tetracampeonato nos Estados Unidos.

Inimigos íntimos

Eric Gaillard / Reuters
Neymar e Cavani: Companheiros no PSG, rivais nesta sexta.

O amistoso desta sexta também terá, do lado uruguaio, ao menos dois jogadores que podem ser considerados "inimigos íntimos", pois defendem as cores de clubes brasileiros.

É o caso do goleiro Martín Silva, do Vasco da Gama, e do meio-campista Carlos Sánchez, principal reforço contratado pelo Santos para a temporada 2018.

Dos dois, no entanto, apenas Sánchez deverá começar o amistoso como titular. O jogador é desfalque certo do Santos para a partida da quinta-feira (15), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Outros dois jogadores que se conhecem bem e estarão em lados opostos são Neymar, camisa 10, craque e artilheiro do Brasil, e Cavani, atacante titular da Celeste.

Os dois protagonizaram uma briga de egos no ano passado defendendo as cores do Paris Saint-Germain, da França, mas fizeram as pazes. Nesta sexta, no entanto, voltarão, ao menos temporariamente, a ser "inimigos" em campo.

Desfalques

Gonzalo Fuentes / Reuters
Alex Sandro (à esquerda) foi convocado para o lugar de Marcelo.

A Seleção Brasileira teve dois desfalques inesperados às vésperas da partida. O lateral-esquerdo Marcelo, do Real Madrid-ESP, e o meia-atacante Philippe Coutinho, do Barcelona-ESP, se lesionaram e acabaram cortados.

Para os seus lugares foram convocados Alex Sandro, da Juventus-ITA, e Renato Augusto, do Beijing Gouan-CHN, respectivamente. Ambos, no entanto, devem começar o amistoso desta sexta no banco de reservas.

Após o jogo contra os uruguaios, a Seleção Brasileira encerrará o ano no dia 20 de novembro, terça-feira da próxima semana, novamente em território inglês, contra a simpática equipe de Camarões.