COMIDA
12/11/2018 04:00 -02

Os típicos 'sliders' americanos chegaram ao Brasil e você precisa conhecê-los

Inspirada nos pequenos hambúrgueres populares nos EUA, a Sliders, em SP, criou um "concurso" para premiar quem come mais.

Os típicos sliders americanos, pequenos hambúrgueres de cerca de 50 gramas cozinhados no vapor da cebola, chegaram ao Brasil numa hamburgueria homônima aos sanduíches inaugurada há cinco meses em São Paulo.

O conceito slider nasceu nos Estados Unidos na década de 40 por famosas redes fast food como a White Castle e a White Manna.

Diferente dos hambúrgueres tradicionais, que são cozidos em uma grelha ou assadeira e, em seguida, são colocados em um pão com os demais ingredientes, o slider é feito em uma "cama" de cebola na chapa, já acrescentando nele o queijo e o pão enquanto é cozido. Isso garante um sabor e aroma diferente do tradicional.

Divulgação

Além disso, a diferença mais visível entre o slider e o hambúrguer tradicional é o tamanho: enquanto o hambúrguer pesa entre 150 e 200 gramas, o slider é bem menor, com cerca de 50 gramas. Nos Estados Unidos, os americanos costumam comer cerca de 3 a 4 sanduíches nas redes mais tradicionais.

Apesar de ser muito popular nos EUA, o conceito slider só chegou no Brasil com a inauguração da Sliders Hamburgueria, localizada no bairro dos Jardins em São Paulo.

A hamburgueria, inspirada nas famosas redes de fast food americanas, tenta iniciar a difícil missão de introduzir os pequenos hambúrgueres aos famintos paulistanos, já bem acostumados com hamburguerias gourmet e seus sanduíches gigantes.

Com preços que variam entre R$ 8 e R$ 10, os sliders são vendidos em um espaço simples e pequeno, com decoração minimalista e pouquíssimas opções no menu. "A ideia é que os consumidores comam vários, não só um", disse Bruno Jacob, 30 anos, sócio e um dos idealizadores da hamburgueria inaugurada em junho.

Jacob é engenheiro e costumava testar receitas com o amigo, e hoje sócio, João Fogarolli, também engenheiro. Eles conheceram o slider pelo YouTube e decidiram testar diferentes receitas.

"Após muitos testes, resolvemos ir para os EUA para ver o que precisava acertar. Visitamos as principais hamburguerias, como a White Manna e a White Castle, e vimos o que precisava ser feito. Voltamos e chegamos na receita que temos hoje", afirma, em entrevista ao HuffPost Brasil.

Os engenheiros (e agora cozinheiros) trabalharam por 2 anos para chegar à receita original vendida hoje. "O lanche é simples e isso torna tudo mais complicado. A gente tem que achar a combinação perfeita entre os quatro ingredientes [carne, queijo, cebola e pão]", relata.

A gente experimentou muito queijo, muita carne, muito pão até chegar à receita que temos hoje. Bruno Jacob, sócio da Sliders

Outro desafio foi fazer com que seus clientes entendessem o conceito de comer mais de um hambúrguer. "Não estamos acostumados a comer hambúrguer em quantidade, normalmente é só um".

Para mudar essa concepção, a estratégia usada foi postar fotos nas redes sociais com vários hambúrgueres juntos e criar um "sliderômetro", que contabiliza todos os hambúrgueres já vendidos pela loja. Após 5 meses, Bruno diz que o número chega a 18 mil.

Divulgação
Sliders Hamburgueria

As tentativas deram certo, mas nada fez tanto sucesso quanto uma placa que indicava o maior "comedor de sliders" que já passou pela loja. "Certa vez, postamos uma foto de um cliente que tinha comida oito lanches. As pessoas interagiram muito, então decidimos tornar a competição fixa", conta Bruno.

A competição ganhou uma motivação: quem come o recorde anterior e mais um slider não paga a conta. "Hoje, o recorde é de um cara que comeu 25 hambúrgueres. É um recorde absurdo, pois normalmente as pessoas comem entre dois e quatro sliders."

Divulgação
Airton comeu 25 sliders em outubro e quebrou o record da casa.

Cardápio à paulistana

Outra preocupação foi adaptar o menu original americano para o paladar brasileiro -- e principalmente paulistano. Segundo Bruno, os paulistanos são bem mais exigentes que os americanos, que costumam comer hambúrguer com queijo, cebola e, no máximo, picles. Por aqui, a saída foi fazer diferentes versões, com salada de rúcula, com bacon e com picles, além de oferecer ingredientes extras, como maionese da casa.

Para o futuro, a Sliders deve aumentar e oferecer mais opções. "Hoje, nosso lugar tem apenas 27 metros quadrados, contando com a cozinha. A ideia é ir com calma, mas queremos crescer", afirmou o empresário. "Não somos hamburgueria, nem somos fast food, estamos no meio. Achamos que podemos virar uma rede grande e a nossa ideia é ter mais lojas."

Divulgação