POLÍTICA
09/11/2018 12:26 -02 | Atualizado 09/11/2018 12:37 -02

Dr. Rey quer ser ministro da Saúde - e foi até a casa de Bolsonaro se oferecer

Cirurgião plástico viajou para o Rio para conversar com o presidente eleito: 'Talvez ele ria da minha cara, não tem problema'.

Parece que o cirurgião plástico e celebridade Dr. Rey quer trocar o glamour de Hollywood para se aventurar como ministro da Saúde do Brasil.

Na manhã desta sexta-feira (9), Roberto Miguel Rey Júnior, conhecido pelo programa de cirurgias plásticas "Dr. Hollywood", desembarcou no Rio de Janeiro com a missão de se encontrar com o presidente eleito Jair Bolsonaro. O motivo da conversa seria a pretensão de assumir o Ministério da Saúde, que ainda não tem nome definido.

Antes da tentativa de encontro, Dr. Rey gravou um vídeo no Instagram dizendo que estava rumo à casa de Bolsonaro. Ele aproveitou o momento para enaltecer suas qualidades e disse que estaria preparado para contribuir com o futuro governo.

Seria muito legal o Brasil ter uma pessoa conhecida no mundo inteirinho, que já foi embaixador lá fora, uma pessoa que fala inglês perfeito, uma pessoa bem formada na Harvard, para representar o Brasil de [sic] embaixador ou ministro da Saúde, alguma coisa assim.

Em frente ao condomínio do presidente eleito, Dr. Rey conversou com jornalistas e disse que conhece o "sistema [de saúde] de primeiro mundo."

Ele confessou que não sabia se Bolsonaro o atenderia. "Talvez ele ria da minha cara, não tem problema", disse o médico à repórter do G1, Fernanda Rouvenat. "Eu quero que todo o brasileiro tenha o seguro privado. Eventualmente eu quero fechar o SUS [Sistema Único de Saúde]", disse em outro momento.

Rey também posou com o que seria seu registro médico, como mostra o tuíte abaixo.

As tentativas, no entanto, foram em vão. De acordo com o site O Antagonista, Bolsonaro não recebeu o cirurgião plástico.

Dr. Rey foi candidato a deputado federal pelo PRB-SP (mesmo partido do general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro) e recebeu 13 mil votos -- insuficientes para garantir uma cadeira no Congresso.

Nas redes sociais, o médico costuma compartilhar desabafos sobre o Sistema de Saúde do País e culpa os "ladrões socialistas que compraram seus jatos e helicópteros".

Em outro tuíte, citando Tiradentes, ele diz que "se tivesse 10 chances de morrer pelo Brasil, ele [Rey] morreria". O cirurgião também apontou semelhanças entre ele e o importante personagem da história brasileira:

Dr. Rey mora nos Estados Unidos e tem cidadania americana, mas diz que gostaria de estar no Brasil, "ajudando a Nação a resolver os problemas com a Saúde."

"Aqui eu me sinto vazio. Eu quero dedicar a minha vida à minha Pátria. Então gente, vem me resgatar. Agora estou pronto para melhorar a Saúde da minha Pátria."

Será que Bolsonaro vai dar uma chance para o Dr. Rey?