ENTRETENIMENTO
09/11/2018 17:28 -02 | Atualizado 09/11/2018 17:28 -02

A nova Sabrina Spellman mora num quarto perfeito para uma bruxa teen

Lisa Soper, a designer de produção de “O Mundo Sombrio de Sabrina”, nos mostrou a casa dos Spellman.

Alguns dias antes de seu aniversário de 16 anos, Sabrina Spellman está em seu quarto. Está frio –uma das janelas está aberta, e há marcas de garras de cada lado do peitoril. "E agora?", ela se pergunta em voz alta.

Foi uma semana longa. O diretor da escola de Sabrina não quer repreender os alunos idiotas que vivem assediando sua amiga. Três garotas conhecidas como as Irmãs Esdrúxulas rogaram uma praga contra Sabrina depois de interromper a tentativa dela de convocar um goblin na floresta para ser seu "espírito familiar" (seu ajudante). E até o final da semana Sabrina terá que decidir se entrega seu nome ao diabo, para sempre.

De repente uma entidade desconhecida chama seu nome. "Mostre-se", Sabrina comanda. Uma figura demoníaca estica a cabeça para fora do seu divisor de quarto, um biombo tríplice vintage, ao lado de algumas fotos polaroides que ela grudou na parede. E então, em um instante, a forma da figura que lembra um monstrengo desaparece. Em seu lugar, um gato preto simpático se aproxima de Sabrina.

Mundo, conheça Salem Saberhagen.

É assim que o novo seriado da Netflix, "O Mundo Sombrio de Sabrina", nos apresenta a Salem, o espírito familiar que assumiu a corpo de um gato para servir melhor à sua senhora bruxa. A cena também funciona como a estreia do quarto de Sabrina, que, tirando a ocupação demônica momentânea, é o esconderijo dos sonhos de uma adolescente.

O espaço é ricamente decorado, cheio de toques retrô que permeiam toda a cidade de Greendale (próxima a Riverdale, do universo de quadrinhos Archie). Desde o calendário antiquado de gato preto que Sabrina usa para ir assinalando com X os dias passados até seu aniversário, até sua casa de bonecas e a mistura de referências da cultura pop que ainda gera confusão em torno da época em que se passa o seriado (entre elas, The Beatles, David Bowie, The Monkees, Jason Voorhees), há um equilíbrio delicado entre toques de bruxa e detalhes típicos de adolescente, refletindo os dois mundos que Sabrina habita: o reino mágico e o mortal.

O criado-mudo de Sabrina tem um telefone antigo, do tipo discado, e uma bola Magic 8.

"Há alguns elementos totalmente pontuais", disse a designer de produção Lisa Soper, apontando para a janela redonda atrás da cama de ferro de Sabrina. "Essa é a única janela diferente das outras para quem olha a casa por fora. E tem o formato de uma teia de aranha."

Netflix