COMPORTAMENTO
08/11/2018 04:00 -02

O que é ASMR e como isso pode ajudar a sua saúde mental

Há anos os vídeos com sussurros são usados como forma de relaxamento – e agora os adeptos querem que mais pesquisadores estudem esse fenômeno.

Delmaine Donson via Getty Images

Uma mulher está sentada à mesa, seu rosto escondido atrás de um panfleto promocional. Ela fala docemente ao microfone, recitando o nome de cada produto listado com minúcia de detalhes, pausando para dar toque na tela do telefone ou mexer deliberadamente no papel. Não é uma tentativa diferente de fazer marketing, mas sim um cenário muito comum num mundo de vídeos "auditivos" que estão invadindo a internet.

Estamos falando de ASMR (sigla em inglês para resposta sensorial autônoma do meridiano), uma sensação fisiológica prazerosa induzida por determinados sons. A experiência é um conceito pouco estudado entre pesquisadores e profissionais de saúde mental. Mas, com mais de 13 milhões de vídeos de ASMR no YouTube, a técnica já virou um grande fenômeno online. (Até revistas de estilo de vida, como a W, usaram ASMR para fazer entrevistas com celebridades.)

A ASMR não é nada reveladora para quem experimenta. Ela costuma ser usada para aliviar estresse, ansiedade e insônia. Segundo um estudo do departamento de psicologia da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, a ASMR produz "sensações de formigamento na coroa da cabeça em resposta a estímulos audiovisuais tais como sussurros, toques e movimentos das mãos".

Muitas pessoas afirmam que a ASMR as ajuda na saúde mental em geral – e querem que mais especialistas estudem o tema.

A força do sussurro

Os vídeos de ASMR não costumam ser super produzidos e raramente exigem efeitos especiais ou edição complicada. Na realidade, alguns dos mais bem sucedidos parecem confissões íntimas, nas quais o autor – conhecido como ASMRtista – senta na frente da câmera e faz algo relaxante para provocar reações da audiência.

Os estímulos mais comuns são sons suaves como sussurros, sopros no microfone, toques em objetos como garrafas de vidro e a sugestão de que sua cabeça está sendo acariciada. Também há dramatizações nas quais o criador do vídeo finge ser o recepcionista de um consultório médico ou o funcionário de uma biblioteca ajudando na procura de um livro. Clipes do pintor Bob Ross também são conhecidos por despertar os tais formigamentos cerebrais em certas pessoas.

Para Kayleigh Hughes, 27, de Austin, os vídeos de ASMR são uma maneira de lidar com enxaqueca e ansiedade.

"Comecei escutando porque tinha enxaquecas o tempo todo. Eles ajudaram a administrar o problema enquanto o remédio não fazia efeito ou eu não pegava no sono", disse ela. "Comecei a usar os vídeos para me acalmar quando entrava em pânico e logo eles também viraram uma maneira de me ajudar a dormir, porque a ansiedade me deixa insone."

Além de assistir clipes de ASMR – especificamente vídeos que simulam uma visita ao salão de beleza ou a um spa --, Hughes também faz terapia e toma remédios. Mas ela acha que o relaxamento propiciado pelos vídeos ajuda muito.

Kiley Bonnibel Powers, 20, de Palm Springs, diz que a ASMR é um sistema de apoio online. Os vídeos a ajudam a estabelecer conexão com outras pessoas do mundo que enfrentam doenças mentais. Powers descobriu o ASMR nas redes sociais, mas não esperava que o impacto fosse tão grande.

"Achei um vídeo chamado 'Late Night ASMR', de Ephemeral Rift", diz ela. "De repente, o ASMR parou de ser uma brincadeira que me fazia rir e virou uma comunidade de pessoas que me entendem. Não me sentia mais tão sozinha, porque sabia que não estava."

Achei um vídeo chamado 'Late Night ASMR', de Ephemeral Rift", diz ela. "De repente, o ASMR parou de ser uma brincadeira que me fazia rir e virou uma comunidade de pessoas que me entendem. Não me sentia mais tão sozinha, porque sabia que não estava.Kiley Bonnibel Powers

A ASMR pode funcionar para algumas pessoas, mas Sarah Keedy, professora assistente de psiquiatria e neurociência comportamental da Universidade de Chicago, diz que não há muitas comprovações científicas para amparar essas afirmações.

"A ASMR não envolve riscos", diz ela. "As pessoas acham que está ajudando a relaxar, então o que pode haver de errado? E isso é verdade, porque é um tipo de tratamento razoável. Mas, se você está realmente sofrendo e procurando ajuda adequada, deveria pedir ajuda adequada. A internet e a ampla quantidade de informações disponíveis podem interferir no discernimento das pessoas na hora de buscar ajuda especializada."

A austríaca Leslie Villarama, 19, usa ASMR para lidar com ansiedade, depressão e ataques de pânico. Ela concorda com o argumento de Keedy e diz que o uso que ela faz dos vídeos não é uma cura total para os problemas de saúde mental.

"A ASMR foi positiva para mim, mas não é para todo mundo", diz ela. "É importante lembrar que a ASMR não ajuda completamente nas questões de saúde mental. Muitos [criadores de conteúdo ASMR] lembram as pessoas que a ASMR não substitui terapia e que, se você tem alguma doença mental, é sempre recomendável procurar ajuda especializada."

O futuro da ASMR

Os pesquisadores esperam que mais investigações da ASMR ofereçam mais respostas sobre o efeito – real ou não – que ela tem na saúde mental. Giulia Poerio, pesquisadora e docente do departamento de psicologia da Universidade de Sheffield, liderou um estudo recente que aponta para resultados promissores.

"Nossas pesquisas indicam de maneira consistente que a ASMR é uma sensação calmante e relaxante, que aumenta a sensação de conexão social", afirma ela. "Também descobrimos que os vídeos de ASMR geram redução significativa na frequência cardíaca, então temos evidências objetivas de que a ASMR é relaxante. Não se trata apenas de pessoas falando que se sentem relaxadas com a ASMR. A fisiologia delas diz o mesmo."

Mas Poerio reconhece que pouco se sabe sobre o porquê.

"Ainda é cedo demais para falar de aplicações práticas da ASMR, mas algumas pessoas a usam para combater estresse, ansiedade, depressão, insônia e solidão", afirma ela.

Os adeptos pedem mais pesquisas científicas sobre o tema. Enquanto isso, fãs como Villarama são apenas gratos por existir algo que ajude nos momentos difíceis.

"Simplesmente ter sons de fundo ou uma voz para ouvir me ajuda com a ansiedade, a insônia e até a depressão", diz ela. "Em alguns vídeos, o ASMRtista diz que você é somente humano e que tudo vai ficar bem. Esse tipo de conforto me ajudou muito ao longo de um ano difícil."

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.