NOTÍCIAS
07/11/2018 18:31 -02 | Atualizado 07/11/2018 18:53 -02

De M1CO a M1TO: Rogério Ceni devolve o Fortaleza à Série A e dá volta por cima

Demitido do São Paulo em julho de 2017, ex-goleiro brilha e pode vencer a Série B do Brasileirão.

Rogério Ceni tem realizado excelente trabalho no Fortaleza.
Divulgação
Rogério Ceni tem realizado excelente trabalho no Fortaleza.

Do M1CO ao M1TO: Assim pode ser rotulada a ainda curta carreira do ex-goleiro Rogério Ceni como treinador de futebol.

Maior jogador da história do São Paulo, Rogério Ceni apostou em sua idolatria para dar início à carreira de treinador no time do coração. Deixou o Morumbi com a imagem arranhada após não conseguir repetir com a prancheta o que fez em seus tempos de atleta.

Cerca de um ano e meio após ser demitido pelo tricolor e um ano depois de assumir o comando do Fortaleza, no entanto, Ceni começa a mostrar que tem tudo para se tornar um M1TO também como comandante.

Em sua segunda experiência como técnico, agora no comando de outro tricolor, o ex-goleiro alcançou um feito impressionante: Classificou o Fortaleza para a elite do futebol brasileiro após 12 anos de ausência. E com 4 rodadas de antecipação (confira a tabela aqui).

A festa pode ser ainda maior, já que faltam 3 jogos para o encerramento da Série B e o título, que ficou muito perto, mas escapou após o empate por 1 a 1 na partida contra o vice-líder CSA nesta terça-feira (6), parece ser apenas uma questão de tempo.

Pelo discurso, Rogério Ceni não pensa em fazer história no Centenário do Fortaleza "só" com a conquista do acesso. O ex-goleiro quer a taça para deixar definitivamente seu nome marcado na galeria de ídolos do clube cearense.

"Subir foi incrível, um feito histórico. Vamos comemorar muito, mas voltar ao trabalho porque nós queremos buscar o título. Ser campeão é sempre marcante porque é difícil ser campeão. Eu mesmo disputei 19 Campeonatos Brasileiros como jogador e só consegui três. O título vai ser fundamental para todos", disse, após o jogo de terça.

A próxima oportunidade de confirmar a taça está marcada para o sábado (10), em Florianópolis, diante do Avaí. E a tarefa não será fácil, já que o time catarinense está na 4ª posição, com 57 pontos, e também precisa da vitória para seguir na luta pelo acesso à elite nacional em 2019.

Uma vitória simples, no entanto, garante ao Fortaleza, de Rogério Ceni, a sonhada taça. Se ela escapar novamente no sábado, a equipe ainda terá mais duas oportunidades de selar a conquista do título da Segundona em 2018.

Caminhada para o título

10/11 – Rodada 36 – 17h30 – Avaí x Fortaleza

15/11 – Rodada 37 – 18h15 – Fortaleza x Juventude

24/11 – Rodada 38 – 17h – Coritiba x Fortaleza


Divulgação
Presidente bancou os desejos de Ceni e está colhendo frutos.

O 'projeto' Ceni para voltar a ser M1TO

Engana-se quem pensa que Rogério Ceni aceitou voltar a trabalhar após o fiasco no São Paulo apenas por dinheiro ou para se recolocar no mercado. O ex-goleiro fez uma série de exigências ao Fortaleza e só assinou contrato após ter a certeza de que o planejamento, prestes a ser coroado com um título, seria feito da forma que ele queria.

Batizado de "Centenário Ceni", em alusão à principal contratação do clube para o aniversário de 100 anos do Fortaleza, o projeto encabeçado pelo ídolo são-paulino começou a ser estruturado pouco depois da assinatura do contrato, em dezembro de 2017.

Rogério Ceni recebeu carta branca para revolucionar não apenas o futebol do Fortaleza, mas todo o departamento profissional, incluindo mudanças no local de treinamento, melhora nos gramados, construção de academias, hotel e até um museu.

Marcelo Paz, presidente do clube, revelou que até na alimentação dos atletas Rogério Ceni influenciou diretamente. "Ele também pediu melhorias na parte de alimentação e acomodação dos atletas. Melhoramos o cardápio, o refeitório com um mix de produtos de qualidade que a gente já está oferecendo para os atletas. Isso a curto prazo vai favorecer a gestão Rogério Ceni, enquanto treinador do Fortaleza, mas, a longo prazo, fortalece o clube", pontuou o cartola ao Estado de S. Paulo.

Ceni também ganhou uma sala especial para trabalhar com sua comissão técnica e ajudou o Fortaleza a assinar com novos patrocinadores. Antes mesmo de o trabalho começar a dar frutos dentro de campo, o papel do treinador foi reconhecido como fundamental pela direção da equipe cearense.

"Rogério Ceni trabalha num nível de excelência muito alto na questão estrutural, a gente tem buscado atender tudo isso, com compra de equipamentos, melhorias de estrutura física, detalhes na cozinha, nos alojamentos, no campo. Com Ceni estamos tendo uma oportunidade única de crescimento", avaliou Paz.

Sombra do 'M1CO' quase atrapalhou

Paulo Matheus/Divulgação
Ex-goleiro teve respaldo da diretoria após perder o Estadual.

Mesmo com toda a estrutura sendo mudada da forma que desejou e moldando a equipe à sua maneira, Rogério Ceni não decolou logo de cara como treinador do Fortaleza.

Ao perder o título do Estadual para o arquirrival Ceará, por exemplo, o ex-goleiro viu que a sombra do 'M1CO' teimava em persegui-lo.

"O Fortaleza perdeu para o rival, tinha menor número de opções, de troca. E perdeu. É natural que o torcedor saia nervoso. Mas isso não traz mágoa em relação à torcida. Eu compreendo completamente a torcida do Fortaleza. É muito mais passional, emotiva, e a gente tem um trabalho para fazer", disse Ceni após a derrota, em maio.

Recuperação de atletas

Divulgação
Gustagol é vice-artilheiro da Série B e um dos maiores goleadores do Brasil na temporada.

E o trabalho foi feito. Se fora de campo Rogério Ceni já mostrava a que veio, dentro dele, o desempenho, depois de um início conturbado e dos gritos de "burro", foi ainda mais excepcional. A proximidade de conquistar o título da Série B se deve a jogadores que, como o próprio Ceni, buscaram no Fortaleza uma chance de redenção.

É o caso do atacante Gustavo. O jogador teve uma passagem apagada pelo Corinthians e virou piada por não conseguir justificar o apelido de Gustagol. No Fortaleza, no entanto, recuperou a boa forma e é um dos principais artilheiros do País atualmente, além de ser o vice-goleador da Série B, com 12 gols.

Para Rogério Ceni, o atleta, revelado pelo Criciúma, tem qualidades raras no futebol brasileiro atual. Em entrevista para à ESPN, o ex-goleiro afirmou que Gustagol "é um dos melhores cabeceadores que já viu".

Ao comentar a boa fase, Gustagol, que tem contrato vigente com o Corinthians até 2020, e pode retornar em breve ao clube paulista, jogou grande parte dos méritos para o trabalho de Rogério Ceni.

"O trabalho dele é muito bom. O importante é que o grupo abraçou o estilo que o professor impôs. Ele está conseguindo trabalhar e colocar em prática o que quer. É decisivo. No dia a dia é bem exigente, durão mesmo, mas depois que acaba o trabalho, é uma pessoa bacana, maravilhosa. É um cara que viveu o futebol e estudou. Ele sabe lidar com os jogadores", elogiou, em entrevista para a Rádio Jovem Pan.

A chance de Gustagol se consagrar está mais próxima do que nunca. Nos próximos três jogos, tanto o camisa 9 do Fortaleza quanto Rogério Ceni poderão mostrar ao Brasil que têm condições de garantir um lugar em um clube de maior expressão para 2019. Ou de ajudar o Fortaleza a alçar voos ainda mais altos em seu retorno à elite nacional.