COMPORTAMENTO
08/11/2018 09:37 -02 | Atualizado 08/11/2018 09:41 -02

Adotei um pet, e agora? Dicas para tutores de primeira viagem

Adotar um cão ou um gato é algo especial, mas não é tão simples como parece. Conheça aqui algumas dicas que vão ajudá-lo no processo.

Estilo de vida, alimentação, rotina. Tudo isso conta quando você adota um animalzinho.
Srdjanns74 via Getty Images
Estilo de vida, alimentação, rotina. Tudo isso conta quando você adota um animalzinho.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o Brasil possui cerca de 30 milhões de animais sem lares. São cerca de 20 milhões de cachorros e outros 10 milhões de gatos que já nasceram na rua ou foram abandonados por seus tutores em parques, praças, estradas, portas de pet shops ou deixados aos cuidados de ONGs que resgatam animais.

Nesse cenário, a adoção de animais se torna cada vez mais importante. Mas esse processo não é tão simples como parece. Veja aqui 8 dicas para tutores de primeira viagem - e evite novos abandonos:

1 - Considere seu estilo de vida

Parkpoom via Getty Images

Antes de mais nada, quando você decide que quer adotar um animal, é importante pensar em quanto tempo você tem para gastar com ele. Você é uma pessoa ocupada, solteira, com uma vida social ativa, ou é uma pessoa caseira com muito tempo para dar ao seu companheirinho? Todos os tipos de estilos de vida podem acomodar um cachorro ou um gato, mas há uma enorme diferença entre adotar um filhote que precisa gastar muita energia em comparação com um animal mais velho que já não está mais disposto a passear muito preferindo, muitas vezes, dormir enquanto você está fora.

2 - Dê tempo ao tempo

ablokhin via Getty Images

Mudanças são sempre estressantes para todo mundo, e isso não é diferente para os pets. Dê tempo para que seu novo amiguinho se acostume a sua casa e família antes de apresentá-lo a estranhos. E certifique-se de que as crianças saibam como abordar o cão ou o gato sem sobrecarregá-los.

3 - Prepare sua casa

Getty Creative

Os primeiros dias em sua casa são especiais e críticos para um animal de estimação. Observe sua casa do ponto de vista de um pet e remova fios ou cabos elétricos soltos, sapatos, objetos ou brinquedos das crianças espalhados pelos cômodos. Se o animal que você adotou é ainda um filhote, saiba que ele vai pegar, mastigar e tentar destruir qualquer coisa que estiver pela frente. Deixe alguns brinquedinhos só para ele poder brincar e gastar sua energia a vontade.

4 - Confiança se ganha com o tempo

101cats via Getty Images

As pessoas costumam dizer que não veem a verdadeira personalidade do animal até várias semanas após a adoção. Seu pet pode ficar um pouco desconfortável no começo, já que ele não conhece você. Seja paciente e compreensivo, e ao mesmo tempo mantenha-se fiel ao cronograma que você pretende manter para alimentação, caminhadas, brincadeiras, etc. Esse cronograma mostrará ao seu animal o que se espera dele, assim como o que ele pode esperar de você.

5 - Adaptação alimentar

Getty Creative

Após a adoção, lembre-se de perguntar o que o bichinho está acostumado a comer e qual a última vez que ele foi alimentado. Replique esse cronograma pelo menos nos primeiros dias. Se você deseja mudar a o tipo da ração, por exemplo, faça isso por um período de cerca de uma semana e vá adicionando uma parte de nova comida a três partes da antiga por vários dias; em seguida, mude para metade do novo alimento e, depois, uma parte da antiga ração para três partes da nova antes de mudar totalmente.

6 - Área de necessidades

Getty Images

Uma vez em casa, apresente o seu pet ao local em que ele deverá fazer as suas necessidades e gaste uma boa quantidade de tempo para que se acostume com a área. Isso é especialmente importante no caso dos cachorros. Mesmo que seu cachorro se alivie durante esse período, esteja preparado para "acidentes". Chegando em uma nova casa com novas pessoas, novos cheiros e novos sons podem confundir até mesmo o cão mais educado, então esteja pronto para isso.

7 - Estabelecer uma rotina é essencial

Getty Creative

Para ter uma vida longa e feliz junto com seu pet, atenha-se ao cronograma original que você criou, garantindo que seu cão tenha sempre a comida, o tempo de necessidades e a atenção que ele precisa. Cães e gatos adoram rotina e se sentem seguros com ela.

8 - Sempre há solução para problemas de comportamento

Getty Creative

Se você encontrar algum problema de comportamento com o qual não esteja familiarizado, peça ao seu veterinário uma recomendação de um treinador. Escolha um treinador que use técnicas de reforço positivo para ajudar você e seu cão a superar esses obstáculos de comportamento. E sempre lembre-se disso: não existe problema de comportamento que não possa ser cuidado.