NOTÍCIAS
31/10/2018 19:25 -03 | Atualizado 31/10/2018 19:25 -03

Marcelo D2 é acusado de racismo ao questionar deputado Hélio Bolsonaro

Rapper referiu-se a deputado do Rio como "negão do Bolsonaro" e virou alvo da hashtag #MarceloD2Racista.

"E o negão do Bolsonaro hein ? Talvez seja essa a nova nomenclatura pro escravo da casa grande", escreveu Marcelo D2 no Twitter.
Montagem/Reprodução/Facebook
"E o negão do Bolsonaro hein ? Talvez seja essa a nova nomenclatura pro escravo da casa grande", escreveu Marcelo D2 no Twitter.

Marcelo D2 virou um dos assuntos mais comentados no Twitter nesta quarta-feira (31) após se referir a Hélio Bolsonaro (PSL), deputado eleito no Rio de Janeiro, como o "negão do Bolsonaro". No início da manhã, o rapper publicou um comentário criticando a relação entre o subtenente do Exército conhecido como Hélio Negão e o presidente eleito.

"Estou querendo tocar nesse assunto super delicado há alguns dias. E o negão do Bolsonaro, hein? Talvez essa seja a nova nomenclatura pro escravo da casa grande. Bater palma pro patrão, no caso aqui lamber o coturno do capetão. 'Eu não sou racista, tenho ATÉ um amigo preto", escreveu Marcelo D2.

Amigo de longa de Jair Bolsonaro, Hélio Negão passou a usar o sobrenome do presidente eleito durante a campanha eleitoral deste ano. O subtenente foi o deputado mais votado no Rio de Janeiro, com mais de 340 mil votos. Ele apareceu ao lado do candidato eleito em diversas em transmissões ao vivo realizadas durante a campanha presidencial e também no discurso da vitória -- também transmitido pelas redes sociais.

No Twitter, Marcelo D2 também afirmou que "Hélio foi o escolhido para blindar o 'Bunda Suja' de ser chamado de racista". Em publicações anteriores, o rapper carioca citou uma declaração de Bolsonaro que dizia que negros quilombolas de uma comunidade que visitou "não servem nem para procriar". O deputado federal foi denunciado pela Procuradoria Geral da República por causa dessa declaração, mas o STF rejeitou a denúncia.

D2 também fez um desabafo na rede social. "O pior de tocar nesses assuntos é ver o quanto tem gente ignorante que deveria só calar a boca e talvez pensar sobre o assunto, cada vez mais me assusto como tamanho da ignorância", escreveu.

Não demorou para que as críticas de D2 repercutissem na rede social. Por conta do uso do termo "negão do Bolsonaro", o rapper passou a ser duramente criticado por entusiastas da direita, que passaram a tweetar mensagens com a hashtag #MarceloD2Racista.

Houve também quem saísse em defesa do rapper, afirmando que existe "hipocrisia" nas críticas direcionadas ao artista. D2 chegou a republicar algumas dessas mensagens.

A resposta de Hélio Bolsonaro

O comentário de Marcelo D2 chegou ao conhecimento do deputado Hélio Bolsonaro, que fez questão de rechaçar também via Twitter.

"Querido Marcelo D2, pare de pré-julgamento de minha pessoa ou do porquê de eu estar ali ao lado do homem/irmão que me deu a mão e me ouviu. Fui o mais votado por mérito e graças a Deus pela aceitação do povo. Bato palma para meu irmão, não meu patrão´, escreveu o deputado.

Marcelo D2 respondeu a réplica de Hélio Bolsonaro citando o ativista americano Malcolm X e reforçando a ideia de que a relação entre o deputado e o presidente eleito assemelha-se a de empregado e patrão.

"Hélio, não sei se você sabe da história de um certo Malcolm q preferiu assumir o X como sobrenome do que ter o nome do patrão depois do seu e ele disse 'neste país o negro é tratado como animal e animais não têm sobrenome'... Se erga rapaz", escreveu.

No Instagram, Hélio Bolsonaro compartilhou um print da troca de mensagens entre ele e Marcelo D2. De acordo com a imagem, o deputado deu uma última resposta ao rapper:

"Na verdade o X foi o símbolo para representar o nome esquecido dos antepassados africanos dele, não muda a mise-en-scène. 'Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?' Mateus 7:1-5."