POLÍTICA
28/10/2018 20:30 -03 | Atualizado 28/10/2018 20:30 -03

Fora do país, Bolsonaro ganhou em Tóquio, Lisboa, Montevidéu, Istambul e Miami

Neste ano, 500.727 brasileiros estavam aptos para votar no exterior.

Reuters
Ao longo do dia, circularam nas redes sociais fotos de supostos resultados em diferentes cidades no exterior.

No exterior, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ganhou no segundo turno em diversos países. Em Miami, nos Estados Unidos, a popularidade chegou a 91,04% dos votos, contra 8,96% de Fernando Haddad (PT).

Também em território americano, em Washington, a vantagem foi de 69,41% contra 30,59%, respectivamente.

Em Genebra, na Suíça, foram 63,15% a favor do deputado e 36,85% do ex-prefeito.O parlamentar também ganhou em Lisboa, em Portugal, com 64,41% dos votos, contra 35,59% do opositor. Em Londres, no Reino Unido, foram, respectivamente, 61,55% e 38,45%.

Ainda na Europa, na capital italiana, Bolsonaro teve 57,52% contra 42,485 de Haddad. Em Madri, capital da Espanha, o militar na reserva conquistou 59,83% do eleitorado, contra 40,17% do ex-prefeito.

Em Istambul, na Turquia, onde o governo atual é autoritário, o apoio ao capitão na reserva foi de 61,11%, contra 38,89% do adversário.

Em Montevidéu, no Uruguai, o parlamentar teve 59,30% contra 40,70% do petista. Já em Tóquio, no Japão, ele alcançou 89,33% contra 10,67% de Haddad.

Os resultados oficiais só foram divulgados após as 19h. Ao longo do dia, circularam nas redes sociais fotos de supostos resultados em diferentes cidades no exterior.

Após a votação ser concluída em cada seção, o mesário imprime um boletim da urna eletrônica e cola do lado de fora, para conferência dos eleitores. As imagens supostamente seriam desses boletins.

Eleitores no exterior

Neste ano, 500.727 eleitores brasileiros residentes no exterior estão aptos a votar em 171 localidades eleitorais de 99 países para eleger o presidente da República, segundo dados do TSE.

Em 2014, o total de eleitores brasileiros fora do país foi de 354.184.

Os três países com maior número são Estados Unidos (160.005 eleitores); Japão (60.708) e Portugal (39.118).

Para o pleito atual, foram usadas 744 urnas nas seções fora do País. Os eleitores brasileiros na Nova Zelândia começaram a votação às 16h deste sábado (27) no horário de Brasília. Na Austrália, foi a partir das 19h.

Para criação de mesas de votação no exterior, o Código Eleitoral prevê o número mínimo de 30 eleitores aptos ao voto. As seções eleitorais funcionam preferencialmente nas sedes das embaixadas, em repartições consulares ou em locais em que existam serviços do governo brasileiro.