POLÍTICA
28/10/2018 22:50 -03 | Atualizado 28/10/2018 22:50 -03

Ex-candidatos cobram de Bolsonaro ajustes na economia e respeito à Constituição

Amoêdo, Meirelles e Dias saudaram novo presidente. Boulos promete "resistência democrática", e Marina, oposição.

NELSON ALMEIDA via Getty Images
Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos e Henrique Meirelles já falaram sobre vitória de Bolsonaro.

Ex-candidatos que disputaram a Presidência da República nas eleições de 2018 parabenizaram o presidente eleito, Jair Bolsonaro(PSL). Pelas redes sociais, Geraldo Alckmin (PSDB), João Amoêdo (NOVO), Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) felicitaram Bolsonaro, enquanto Guilherme Boulos (PSOL) prometeu a formação de um "frente ampla pela resistência democrática".

Marina Silva (Rede) cumprimentou Bolsonaro e ressaltou que será oposição ao governo Bolsonaro. "Desejo que [a sociedade] cumpra o seu papel de fiadora e guardiã da democracia, acima de quaisquer paixões políticas", disse.

No Twitter, Amoêdo cumprimentou Bolsonaro pela eleição e afirmou que cobrará atuação do presidente eleito no equilíbrio das contas públicas, com a reforma da Previdência, privatizações e gestão profissional.

"Cortando privilégios, abrindo mão de morar em palácio, diminuindo os custos do Planalto e da Alvorada e reduzindo drasticamente os cargos comissionados", ressaltou o candidato considerado 'outsider' desta eleição.

Alckmin postou em seu perfil no Facebook um texto em que parabeniza os eleitos neste 2° turno, entre presidente, governadores e aliados do PSDB. Sem citar o nome de Bolsonaro, ele diz esperar que "o presidente escolhido hoje seja portador de decisões que honrem os deveres do elevado cargo que agora assume", escreveu.

O tucano afirmou que tem esperança de que a "decisão soberana das urnas" seja o início de um "período de respeito aos valores supremos da nossa Constituição e de renovação do compromisso fundamental de construção de uma sociedade mais livre, justa e solidária", ressaltou o ex-governador de São Paulo.

"As urnas externaram o desejo sincero do povo por mudanças, pois que todos nós sejamos capazes de bem compreender essa mensagem para conduzirmos a política partidária a um novo patamar, de respeito e participação de outros brasileiros. A democracia se fortalece a cada voto e em todas as eleições", conclui.

Já Henrique Meirelles, do MDB, desejou Bolsonaro "sucesso" e afirmou que o mais importante é "unir a nação e trabalhar pelo conjunto da sociedade". Ele também afirmou que o "bem-estar da população" está acima de qualquer disputa eleitoral ou partidária e cobrou criação de empregos, mais renda e crescimento sustentado e estabilidade econômica.

"Precisamos fazer as reformas fundamentais, como as alterações na Previdência e a simplificação tributária", escreveu nas redes.

Dias apenas celebrou a vitória de Bolsonaro. "Brasil tem um novo presidente! Parabéns Bolsonaro! Que você tenha sucesso e que o Brasil ganhe! Estaremos atentos", escreveu no Facebook.

Já Boulos, do PSol, anunciou que será oposição ao governo Bolsonaro e propôs uma "frente ampla" pela democracia, com artistas, aliados e eleitores de Fernando Haddad (PT). "Vai ter resistência. Entre a prisão e o exílio, nós escolhemos as ruas", disse em um vídeo publicado no Twitter. "Já na próxima terça-feira, o 'povo sem medo' vai às ruas de várias cidades do País para firmar o compromisso com a democracia e com os nossos direitos."

Ele acrescenta dizendo que Bolsonaro não é o "dono do Brasil". "Apesar de você, Bolsonaro, amanhã vai ser outro dia", disse.