POLÍTICA
28/10/2018 18:54 -03 | Atualizado 28/10/2018 22:32 -03

Em Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) vence com folga disputa pelo governo

Desempenho de Anastasia no segundo maior colégio eleitoral é derrota amarga para PSDB.

Reprodução/Twitter
Romeu Zema venceu com facilidade em Minas Gerais.

O empresário Romeu Zema, do partido Novo, derrotou o rival Antonio Anastasia, do PSDB, ao governo de Minas Gerais, numa das mais amargas derrotas para os tucanos nestas eleições. Com 100% das urnas apuradas, Zema fechou o pleito com 71,8% dos votos, contra 28,2% de Anastasia.

Zema enterrou o sonho do PSDB de arrematar o segundo maior colégio eleitoral do País, após tirar do governador Fernando Pimentel (PT) a chance de reeleição. Para o partido Novo, que estreou nestas eleições, o resultado em Minas é o mais importante deste pleito.

A margem de Zema sobre Anastasia foi folgada, e apenas confirmou o que estava desenhado desde a apuração do 1º turno, que terminou com Zema alcançando 42,73% dos votos válidos.

Assim como ocorreu no Distrito Federal com Ibaneis Rocha (MDB), no entanto, o início da caminhada de Romeu Zema até a chegada ao governo não foi nada fácil – e parecia até mesmo improvável.

O candidato do Novo largou bem atrás dos concorrentes nas pesquisas de intenção de voto dos principais institutos do País. O Ibope, por exemplo, dava a Zema somente 3% no dia 29 de agosto, mesmo percentual registrado por João Batista Mares Guia (Rede).

À época, Anastasia, derrotado neste domingo, liderava a corrida com 24%, 10 pontos percentuais à frente de Pimentel.

O segredo do empresário

O segredo de Zema, segundo o próprio governador eleito, está no trabalho desempenhado como empresário em Minas Gerais.

Dono do Grupo Zema, que atua em cinco segmentos diferentes no Estado – eletromóveis, autopeças, concessionárias, locadoras de veículos e combustíveis -, Zema creditou a funcionários e ex-funcionários o crescimento repentino nas pesquisas e a vitória nas urnas.

"Ex-funcionário costuma mais criticar do que elogiar patrão. Tenho uns 20 mil ex-funcionários em Minas e, onde quer que eu vá, recebo apoio. Isso é prova de que meu trabalho no setor privado sempre foi consistente e sério, deu resultado e atendeu bem as pessoas", declarou ao jornal Estado de Minas, antes do primeiro turno.

Agora eleito, a principal dificuldade de Zema será aprovar projetos, já que seu partido conseguiu eleger somente três deputados para a Assembleia de Minas Gerais. Em entrevista para o site da revista Exame, o agora governador garantiu não estar preocupado com isso.

"Não vai ser um balcão de negócios. Muitos dos 77 deputados eleitos já têm nos procurado espontaneamente e expressaram seu apoio", afirmou, antes da vitória deste domingo.