ENTRETENIMENTO
27/10/2018 13:46 -03 | Atualizado 27/10/2018 13:46 -03

Justiça Eleitoral do Paraná adverte show de Roger Waters

Pedido para evitar qualquer manifestação político-partidária partiu do Ministério Público Eleitoral

Passagem de turnê do ex-Pink Floyd pelo Brasil é marcada por críticas a Jair Bolsonaro
Mario Anzuoni / Reuters
Passagem de turnê do ex-Pink Floyd pelo Brasil é marcada por críticas a Jair Bolsonaro

Mais um capítulo conturbado da passagem da turnê Us + Then, do ex-Pink Floyd Roger Waters pelo Brasil. Baseada em um pedido do Ministério Público Eleitoral, a Justiça Eleitoral do Paraná advertiu a produção do cantor e compositor inglês, que se apresenta em Curitiba nesta sábado, às 21h30 no Estádio Couto Pereira, a evitar qualquer manifestação de cunho político-partidário no show. A informação é do site G1.

Em suas apresentações no Brasil, Roger Waters posicionou-se contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro, colocando, em um telão, o nome do candidato do PSL em uma lista de líderes que considera facistas. Além disso, Waters também usou a hashtag #elenão, símbolo utilizado por movimentos de mulheres contra Bolsonaro.

Tudo começou no show que o roqueiro fez no Allianz Parque, em São Paulo, no dia 9 de outubro. O posicionamento politico irritou fãs que apoiam o candidato do PSL, para o espanto de Waters, que, em sua segunda apresentação na capital Paulista, substituiu o nome do politico brasileiro pela palavra "censurado".

Já em sua passagem pelo Rio de Janeiro, o ex-Pink Floyd voltou a desagradar os seguidores de Bolsonaro quando fez uma homenagem à Marielle Franco, vereadora do Psol assassinada em março de 2018.