POLÍTICA
25/10/2018 22:25 -03 | Atualizado 25/10/2018 22:51 -03

Bolsonaro desafia Justiça Eleitoral e explora 'kit gay' na TV

Programa eleitoral do candidato aborda projeto Escola sem Homofobia, que nunca chegou a ser implantado. TSE já derrubou vídeos sobre o tema.

CARL DE SOUZA/AFP/Getty Images
O

Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, voltou a explorar o que chama de "kit gay" em sua campanha.

No programa eleitoral exibido na TV na noite desta quinta-feira (25), o capitão reformado explorou vídeo de 2010 no qual o então secretário de alfabetização do Ministério da Educação (MEC), André Lázaro, explica o que seria o material do projeto Escola sem Homofobia, elaborado quando a pasta era comandada por Fernando Haddad (PT), adversário de Bolsonaro nesta eleição presidencial.

"Haddad criou o 'kit gay' e, por mais que ele tente esconder, a gente mostra a verdade", diz o narrador do programa. "Ouça seu secretário de alfabetização quando ele foi ministro da Educação", continua o narrador.

O programa, então, exibe imagens de uma apresentação de Lázaro para parlamentares do Congresso Nacional, na qual ele explica trecho de um vídeo que faria parte do material, que nunca chegou a ser distribuído nas escolas.

"Um dos materiais didáticos, um dos filmes, tinha um beijo na boca – um beijo lésbico na boca. E a gente ficou 3 meses discutindo até onde entrava a língua", disse Lázaro na ocasião. As imagens, de 2010, foram reveladas em reportagem exibida em maio de 2011 pelo Jornal da Record, quando Lázaro já não ocupava o cargo.

"Informação equivocada"

Consciente do apelo que o tema tem junto aos eleitores conservadores e religiosos, Bolsonaro tem explorado o "kit gay" desde o início da campanha. No último dia 16, contudo, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou a remoção de 6 links com vídeos em que o candidato usa a expressão "kit gay" por "informação equivocada".

Em sua decisão, o ministro do TSE Carlos Horbach ressaltou que o projeto Escola sem Homofobia não chegou a ser executado pelo MEC.