POLÍTICA
21/10/2018 09:09 -03 | Atualizado 21/10/2018 09:09 -03

'Vem Pra Rua' convoca protesto contra PT em 260 cidades a uma semana da eleição

‘A corrupção é democrática, mas o PT é mola mestra’, diz porta-voz do grupo

SIPA USA/PA Images
O protesto em São Paulo ocorrerá na Avenida Paulista.

O movimento Vem Pra Rua convocou, para este domingo (21), protestos em pelo menos 260 cidades do País contra a possibilidade de eleição de um candidato do Partido dos Trabalhadores.

A organização do evento, no entanto, defende que a intenção do "#PTNÃO para o Brasil não virar uma Venezuela" não é impulsionar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), adversário do candidato do PT, Fernando Haddad.

Ao HuffPost Brasil, a porta-voz nacional do grupo, Adelaide Oliveira, disse que "a disputa política (entre Bolsonaro e Haddad) não faz a mínima diferença". "As manifestações vêm desde antes do primeiro turno. Nosso foco é o PT, não tem nada a ver com o candidato adversário", acrescenta.

Segundo ela, o que motivou a convocação para ocupar as ruas do País foi a declaração recente do ex-ministro José Dirceu (PT) de "que é questão de tempo para eles tomarem o poder". A fala foi feita ao jornal El País e depois rechaçada por Haddad.

"Este é um trabalho que estamos desenvolvendo há 4 anos. Este é o programa do PT (tomar o poder) e nós trabalhamos para que o PT fosse tirado do poder porque é uma organização criminosa. Não queremos que retorne."

Para Oliveira, um governo PT significaria o enterro da Operação Lava Jato, deflagrada durante o governo da então presidente Dilma Rousseff e que prendeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Resultaria também em punição ao juiz Sergio Moro, responsável pela decisão da prisão do petista em 1ª instância, além da transformação do País "em uma Venezuela".

"Vão implantar aqui uma ditadura como a que eles admiram, dizendo ser uma democracia o que existe na Venezuela", explica. Recentemente o candidato do PT à Presidência reconheceu que a Venezuela não vive uma democracia. O partido, entretanto, já manifestou apoio ao país vizinho.

Apesar de focar as críticas no PT, a líder do movimento faz a ressalva de que a corrupção não é um problema exclusivo da sigla. "Infelizmente, a corrupção é democrática, está em vários partidos, mas a gente acredita que o PT seja a mola mestra de muito do que aconteceu no Brasil. Tanto que os 5 últimos tesoureiros estão presos, o próprio ex-presidente Lula está preso e a presidente atual está sendo investigada", justifica.

O Vem Pra Rua afirma que não apoia a intervenção militar nem medidas extremas e autoritárias. O grupo foi um dos protagonistas em favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.