POLÍTICA
19/10/2018 17:00 -03 | Atualizado 19/10/2018 17:11 -03

Como justificar o voto no segundo turno das eleições 2018

Eleitores que não comparecerem às urnas no dia 28 terão de explicar ausência para não pagar multa.

Divulgação
Eleitor que não votar precisará justificar ausência nas urnas.

Se você não estiver em seu domicílio eleitoral no dia 28 de outubro, data em que está marcado o 2º turno das eleições 2018 no Brasil, e não se cadastrou para realizar o voto em trânsito dentro do prazo legal, precisará justificar a ausência à urna.

Segundo o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a justificativa no dia do pleito deverá ser realizada por meio do RJE (Requerimento de Justificativa Eleitoral), que deve ser preenchido e entregue nos locais de votação ou justificativa.

O formulário é distribuído gratuitamente nos postos de atendimento ao eleitor (confira a relação completa aqui), podendo também ser impresso no portal do TSE e nas páginas dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) na internet.

Documentos para justificativa

Ao entregar os RJEs no dia 28 de outubro, o eleitor deverá ter em mão o número do título eleitoral e um documento oficial com foto.

No caso de já ter realizado o cadastro biométrico, a versão digital do título de eleitor (E-título) também será aceita como documento oficial.

Justificativa Pós-Pleito

Caso não apresente a justificativa no dia da votação, o eleitor precisará preencher o RJE pós-eleição e entregá-lo nos cartórios eleitorais até 60 dias após a eleição, acompanhado dos documentos que comprovem o motivo da ausência nas urnas.

A justificativa pós-pleito também poderá ser feita pela internet, por meio do Sistema Justifica. Ao acessar o Justifica, o eleitor deverá preencher os dados corretamente e anexar a documentação exigida.

Penalidades para eleitor

O eleitor que não votar e não justificar a ausência em 3 eleições consecutivas (cada turno corresponde a uma eleição) estará sujeito às penas da lei.

Além de pagamento de multa, o ausente terá o título eleitoral suspenso, ficará impedido de obter passaporte ou carteira de identidade e de concorrer em concursos públicos ou obter determinados tipos de empréstimos.