POLÍTICA
16/10/2018 18:23 -03 | Atualizado 16/10/2018 18:33 -03

Bolsonaro faltará aos debates por causa da colostomia, diz aliado

Deputado Onyx Lorenzoni disse ainda que jeito de fazer política mudou no Brasil e que debate na TV "não resolve eleição".

No procedimento cirúrgico pelo qual passou Bolsonaro, parte do intestino é colocada em uma bolsa.
MAURO PIMENTEL/AFP/Getty Images
No procedimento cirúrgico pelo qual passou Bolsonaro, parte do intestino é colocada em uma bolsa.

Jair Bolsonaro (PSL), que passou por uma colostomia após ser esfaqueado, faltará aos debates com Fernando Haddad (PT) na TV porque um paciente nessas condições "peida e fede".

Foi o que disse o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro à Presidência.

"Quer que eu fale em bom português? Um cara colostomizado peida, fede. No meio de um debate político, acha adequado isso?", disse o deputado nesta terça-feira (16), em entrevista a veículos de imprensa no Congresso Nacional.

A colostomia é um tipo de procedimento cirúrgico no qual o paciente tem parte de seu intestino grosso exteriorizado, em uma bolsa fixada ao corpo.

MAURO PIMENTEL/AFP/Getty Images
O deputado federal Onyx Lorenzoni, um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro.

Lorenzoni afirmou também que o debate na TV perdeu importância e "não resolve eleição". "Acabou! O jeito normal de se fazer política no Brasil, televisão, partido, palanque estadual, dinheiro e debate televisivo, acabou, não resolve mais eleição", avaliou.

Em entrevista coletiva no último dia 11, porém, Bolsonaro admitiu que poderia fugir dos debates por estratégia. "Existe a possibilidade [de faltar aos confrontos], sim, estratégica", afirmou.

Gases

No fim de setembro, a então candidata a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) – eleita com recorde de votos –, que chegou a ser cotada para vice de Bolsonaro, criticou a resistência do candidato em participar dos debates.

"O povo gosta do senhor, tenho falado com muita gente... O senhor tem o dever de enquadrar todo mundo e tomar as rédeas da campanha! Se estiver em condições de ir ao debate, tem que ir! Gases não podem parar um Chefe de Estado! Que brincadeira é essa?", postou no Twitter na ocasião, quando Bolsonaro ainda estava internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo.