POLÍTICA
13/10/2018 10:49 -03 | Atualizado 13/10/2018 11:23 -03

João Doria tenta, mas fica sem o apoio de Jair Bolsonaro

Tucano foi ao Rio, mas candidato alegou mal estar e faltou ao encontro. Doria nega constrangimento e diz entender "neutralidade".

“Não vim buscar apoio e compreendo a neutralidade do candidato Jair Bolsonaro", disse Doria.
Ueslei Marcelino/Reuters
“Não vim buscar apoio e compreendo a neutralidade do candidato Jair Bolsonaro", disse Doria.

João Doria (PSDB), ex-prefeito de São Paulo e candidato ao governo do estado, tentou nesta sexta-feira (12) se encontrar com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no Rio de Janeiro, mas levou um bolo do capitão da reserva do Exército.

O tucano, que mesmo com Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa à Presidência já vinha defendendo o voto "Bolsodoria" – e que por isso foi chamado de traidor pelo padrinho político –, declarou apoio ao candidato do PSL ainda no domingo (7) de eleição, tão logo foi definido o segundo turno entre Bolsonaro e Fernando Haddad (PT).

O objetivo de Doria, que enfrenta Márcio França (PSB) no segundo turno em São Paulo, era conseguir uma declaração pública de Bolsonaro a seu favor. Com essa esperança, o tucano seguiu para uma casa no Rio onde o PSL tem gravado vídeos da campanha, mas o presidenciável não apareceu.

Ainda em processo de recuperação por conta da facada que recebeu, Bolsonaro alegou que não se sentia bem fisicamente para evitar o encontro. O candidato já havia sinalizado, porém, que ficaria neutro nos estados em que o PSL não concorre.

Restou a Doria gravar um vídeo com Joice Hasselmann, deleita deputada federal em São Paulo pelo PSL, e com o economista ultraliberal Paulo Guedes, que deve ser assumir o comando da economia em um eventual governo Bolsonaro.

Em entrevista a jornalistas, Doria negou que tenha se sentido rejeitado pelo candidato e disse que não espera contrapartidas.

"A intenção da vinda aqui não era pedir apoio, nem gravar vídeo, nem receber nenhuma contrapartida. Era apenas manifestar o nosso apoio, reafirmar o nosso apoio", disse Doria.

"Não vim aqui buscar apoio e compreendo perfeitamente a neutralidade do candidato Jair Bolsonaro. Em São Paulo, ele será o candidato que terá o nosso apoio e o nosso voto", completou.