POLÍTICA
13/10/2018 12:59 -03 | Atualizado 13/10/2018 13:28 -03

Haddad reconhece erros do PT: 'Diretores ficaram soltos para promover corrupção'

Candidato disse que "faltou controle interno nas estatais" e propôs criação de controladorias internas contra desvio de dinheiro público.

"Faltou controle interno nas estatais, isso é claro", disse Fernando Haddad (PT).
Amanda Perobelli/Reuters
"Faltou controle interno nas estatais, isso é claro", disse Fernando Haddad (PT).

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência, reconheceu neste sábado (13) erros cometidos pelos governos petistas e admitiu que faltou controle interno nas estatais para combater a corrupção.

"Faltou controle interno nas estatais, isso é claro. Diretores ficaram soltos para promover a corrupção e enriquecer pessoalmente", disse Haddad a jornalistas após agenda de campanha em São Paulo.

O candidato respondia a uma pergunta sobre declaração do senador Jorge Viana (PT-AC), que não se reelegeu. Em entrevista à Folha de S.Paulo, Viana disse que o PT errou ao não reconhecer que integrantes do partido praticaram corrupção.

Em sua resposta, Haddad afirmou que faz autocrítica "todo dia" e disse que, se for eleito, vai criar controladorias internas para combater a corrupção nas estatais.

"Todo dia eu faço uma crítica a alguma coisa que foi feita de forma equivocada, mostrando o caminho para superar", afirmou o candidato.

"O ministério [Educação] que eu comandei por quase 7 anos tinha uma controladoria muito forte, então nós não tivemos casos de corrupção. Com R$ 100 bilhões de orçamento, era um dos maiores orçamentos da República. Esse mesmo tipo de controle eu vou levar para as estatais", completou Haddad.

Questionado sobre corrupção praticada por dirigentes do PT, o candidato defendeu punição desde que os crimes sejam provados.

"Se algum dirigente cometeu erro, se [a Justiça] concluir que alguém enriqueceu, tem que ir para a cadeia."