POLÍTICA
07/10/2018 23:20 -03 | Atualizado Há 23 horas

Nenhuma mulher é eleita entre governadores no primeiro turno

País ocupa a 161ª posição no Ranking de Presença Feminina no Poder Executivo.

Fátima Bezerra (PT) é a única mulher que passou para o segundo turno na disputa pelos governos estaduais.
NurPhoto via Getty Images
Fátima Bezerra (PT) é a única mulher que passou para o segundo turno na disputa pelos governos estaduais.

Nenhuma mulher foi eleita governadora no primeiro turno e uma continua na disputa no segundo turno: Fátima Bezerra (PT), no Rio Grande do Norte. Das 27 unidades da Federação, 13 escolheram um nome definitivo para o comando do Executivo.

Em 2014, Suely Campos (PP) foi a única mulher eleita para o cargo de governador. No Paraná, em abril deste ano, Cida Borghetti (PP) assumiu o comando do Executivo, após saída de Beto Richa (PSDB) para disputar o Senado.

Entre todos candidatos, o perfil mais comum era homem, branco e rico. Dos 180 nomes registrados na Justiça Eleitoral para o cargo, apenas 27 eram mulheres, o equivalente a 12,7%, segundo levantamento do HuffPost Brasil publicado em agosto.

Neste ano, o número de mulheres como vice na disputa surpreendeu. Segundo levantamento da Folha de S. Paulo, são 67 chapas com essa estrutura, o equivalente a 37,6% do total. Em 2014, eram 27,7%, e em 2010, 19,5%.

Esse tipo de formação foi uma maneira pela qual partidos decidiram aplicar decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o Fundo Eleitoral. Em maio, a Corte determinou que pelo menos 30% dos recursos teriam de ser gastos em candidaturas femininas. O percentual é o mesmo que a lei eleitoral determina como cota mínima de candidaturas para cada gênero.

O Brasil ocupa a 161ª posição no Ranking de Presença Feminina no Poder Executivo, dentre os 186 países analisados pelo Projeto Mulheres Inspiradoras (PMI) – 2018, com base em informações das Nações Unidas, do Banco Mundial e do instituto de pesquisas The Heritage Foundation.

A pequena representatividade nos estados se repete nos municípios. Enquanto 4.908 homens administram cidades no Brasil, apenas 662 mulheres têm a mesma função, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Eles são 88,1% dos prefeitos e elas 11,9%. Na eleição anterior, o percentual feminino era de 12,1%.