POLÍTICA
07/10/2018 22:53 -03 | Atualizado 07/10/2018 23:21 -03

Eleições 2018 tem 13 governadores eleitos no 1º turno, com 8 reeleições

Número de definições sem necessidade do 2º turno é exatamente igual ao de 2014.

Renan Filho foi reeleito governador de Alagoas já no 1º turno.
Brazil Photo Press via Getty Images
Renan Filho foi reeleito governador de Alagoas já no 1º turno.

Eleitores de 13 dos 27 estados brasileiros definiram neste domingo (7), data em que foi realizado o 1º turno das eleições 2018, quais serão seus governadores pelos próximos 4 anos.

Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí e Tocantins elegeram seus novos governantes sem a necessidade do 2º turno, marcado para ocorrer no dia 28 de outubro, dentro de três semanas.

Dos 13 governadores definidos neste domingo, 8 já ocupavam o cargo e foram reeleitos: Renan Filho (MDB) em Alagoas, Rui Costa (PT) na Bahia, Camilo Santana (PT) no Ceará, Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão, João Azevedo (PSB) na Paraíba, Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco, Wellington Dias (PT) no Piauí e Mauro Carlesse (PHS) no Tocantins.

Além dos 8 reeleitos, garantiram a vitória sem a necessidade da realização do 2º turno os candidatos Gladson Camelli (PP) no Acre, Renato Casagrande (PSB) no Espírito Santo, Ronaldo Caiado (DEM) em Goiás, Mauro Mendes (DEM) no Mato Grosso e Ratinho Júnior (PSD) no Paraná.

PT e aliados dominam no Nordeste

Além de manter o Partido dos Trabalhadores vivo na luta pela sucessão de Michel Temer, o Nordeste brasileiro registrou uma série de êxitos de aliados petistas nas eleições para o governo.

Sete dos 8 governadores eleitos na região são aliados ou do próprio PT e tendem a puxar votos para Haddad na briga contra Jair Bolsonaro: Camilo Santana (Ceará), Wellington Dias (Piauí), Rui Costa (Bahia), Renan Filho (Alagoas), Flávio Dino (Maranhão), João Azevedo (Paraíba) e Paulo Câmara (Pernambuco).

Faltam 14

Se 13 estados brasileiros não precisarão voltar às urnas no dia 28 de outubro para escolher seus governadores, 14 (incluindo o Distrito Federal) terão a necessidade de participar do 2º turno das eleições 2018.

A disputa continua acirrada em 4 dos 5 maiores colégios eleitorais do País (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) e em mais 10 praças brasileiras (Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Santa Catarina).