POLÍTICA
06/10/2018 21:54 -03 | Atualizado 06/10/2018 21:58 -03

As propostas de João Amoêdo (Novo) para a segurança

O candidato defende a revisão da Lei Penal em seu plano de governo.

Bloomberg/Getty Images
João Amoêdo aposta na valorização da carreira dos policiais como medida para diminuis as taxas de violência no País/

Para o candidato João Amoêdo (Novo), as políticas de segurança pública no Brasil possuem falhas em seu processo que aumentam a sensação de impunidade dos brasileiros. Por isso, em seu plano de governo, o candidato defende uma revisão da Lei Penal.

Aliado à isso, o presidenciável aposta em melhorias na bonificação e plano de carreira dos policiais. Para o candidato, é preciso, ainda, construir mais presídios em parceria com a iniciativa privada.

Como meta, o candidato defende a redução da taxa de homicídios no Brasil para menos de 10 para cada 100 mil habitantes por ano - em 2017, esse índice foi de 30,8 mortes para cada 100 mil habitantes.

Queremos um País com direito à vida como um pilar fundamental da nossa sociedade, com baixas taxas de criminalidade contra as pessoas e seu patrimônio, e onde o crime não compensa.João Amoêdo, em plano de governo.

Veja as propostas:

  • Maior integração entre as polícias e os governos municipais, estaduais e federal.
  • Priorização da segurança pública e valorização do policial.
  • Metas e bonificação para o sucesso policial.
  • Plano de carreira que permita o crescimento do policial.
  • Aprimorar a prevenção e as investigações com o uso de mais tecnologia.
  • Combate com mais inteligência e tecnologia à lavagem de dinheiro.
  • Reforma da Lei Penal com maior rigor, redução da possibilidade de progressão e revisão dos indultos e saídas temporárias em datas festivas.
  • Prisão de condenados em segunda instância.
  • Construção, manutenção e gestão de presídios em parceria com o setor privado.

O candidato João Amoêdo

João Dionisio Filgueira Barreto Amoêdo nasceu no Rio de Janeiro em 1962. Ele tem 55 anos e é formado em administração de empresas e engenharia. Em 2018, o candidato faz a sua estreia na vida política do País.

Antes de se declarar candidato à presidência, Amoêdo construiu a sua trajetória no setor privado, como executivo de bancos como o Unibanco e o Banco Itaú BBA. Em 2011, foi um dos fundadores do partido Novo.

De acordo com registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), João Amoêdo é um dos mais ricos na corrida presidencial: possui R$ 425 milhões em bens. Entre imóveis, tem 6 apartamentos que totalizam R$ 16 milhões. Uma embarcação dele vale R$ 4 milhões. Mas a maior parte do dinheiro dele está em aplicações financeiras.