LGBT
03/10/2018 15:20 -03 | Atualizado 03/10/2018 15:23 -03

Esta cidade britânica encontrou a resposta ideal para a visita de um pastor homofóbico

De cultos radicalmente inclusivos a um “Bonecão de Jesus”, cristãos britânicos LGBTQ e seus aliados estavam prontos para a visita do pastor norte-americano.

Leah Millis / Reuters
Franklin Graham delivers a sermon at a memorial service for his father on March 2. Graham headlined at the Lancashire Festival of Hope in England, which took place Sept. 21 to 23.

Cristãos britânicos LGBTQ e seus aliados receberam de maneira especial um pastor evangélico norte-americano conhecido por suas opiniões anti-gays. Eles prepararam uma festa de inclusão para reafirmar que a aceitação é parte integral de sua fé.

Durante meses, ativistas LGBTQ, grupos muçulmanos e políticos locais manifestaram oposição aos planos do pastor Franklin Graham de pregar no Reuni Unido, citando suas posição anti-muçulmanas e anti-gays. Apesar das tentativas de impedir a visita, Franklin Graham, filho do famoso evangélico Billy Graham, foi a principal atração do Lancashire Festival of Hope (festival da esperança de Lancashire), que aconteceu entre 21 e 23 de setembro na cidade de Blackpool, Inglaterra.

Cerca de 9 000 pessoas participaram do festival ao longo dos três dias, e milhares de outras acompanharam pela internet, segundo a Billy Graham Evangelistic Association. O evento contou com o apoio de mais de 200 igrejas locais.

Mas alguns cristão britânicos não estavam muito entusiasmados com a visita do pastor americano. Do lado de fora do Winter Gardens, local onde foi realizado o festival, um grupo de cristãos defensores dos direitos LGBTQ fizeram uma manifestação para mostrar aos participantes do evento que, apesar da retórica de Franklin Graham, há espaço para a população queer na fé cristã.

Os manifestantes se reuniram na entrada do evento no sábado e no domingo, com um "Bonecão de Jesus" que tinha quatro metros de altura e usava uma faixa com as cores do arco-íris. O boneco, que já apareceu em vários eventos do orgulho gay no país, é parte de uma iniciativa da Liberty Church Blackpool, igreja que quer espalhar uma mensagem de inclusão, afirma a pastora Nina Parker.

Ela afirmou ao HuffPost que o grupo conversou com participantes do evento – alguns dos quais não pareciam conhecer a posição de Graham em relação à população LGBTQ.

"[Conversando] com os passantes e com as pessoas que estavam indo para o festival, dissemos que somos cristãos e que valorizamos a igualdade dos gays. Somos verdadeiramente inclusivos", disse Parker ao HuffPost por email.

A Liberty e outras igrejas inclusivas da região também organizaram o que chamaram de "Fim de Semana do Arco-íris". Quatro igrejas locais realizaram eventos alternativos, incluindo comunhão inclusiva, cânticos, missas e cultos.

Parker disse que o festival de Graham teve uma consequência acidental: aprofundar os laços entre as igrejas inclusivas e as organizações muçulmanas.

"Conhecemos pessoas que não teríamos conhecido e criamos uma rede de apoio local", disse Parker.

A Torre de Blackpool, um dos ícones da cidade, foi iluminado com as cores do arco-íris durante o fim de semana, relata o The Guardian. O governo da cidade afirmou apoiar a comunidade LGBTQ, mas era obrigado por contrato a permitir a realização do festival.

"[O governo] apoia todas as questões relacionadas à igualdade, e usamos a bandeira do arco-íris e seus derivados regularmente para demonstrar esse apoio", disse um porta-voz da prefeitura ao jornal.

Graham, que apoia o presidente Donald Trump, é presidente da Billy Graham Evangelistic Association e a entidade de caridade Samaritan's Purse. Graham costuma realizar eventos desse tipo em vários lugares do mundo com o objetivo de envolver as comunidades cristãs locais e converter as pessoas ao cristianismo.

Mas suas opiniões políticas e sociais são controversas e recebem muitas críticas – inclusive de líderes cristãos de cidades que ele visita.

Big Jesus / Facebook
Blackpool Tower was lit up in rainbow colors in solidarity with LGBTQ people during the weekend of the Lancashire Festival of Hope.

Graham diz que o amor gay é "pecado" e afirma que Satã está por trás do movimento pelos direitos LGBTQ. Ele já sugeriu que permitir a entrada de gays em lares cristãs ou igrejas equivale a permitir que o "inimigo", ou Satã, "devore nossos lares". Em 2014, ele elogiou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, por causa de sua agenda anti-LGBTQ.

Além disso, Graham foi criticado por suas opiniões em relação ao islamismo. Ele chamou o Islã de "religião perversa e maligna" e propôs a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

Diversas organizações muçulmanas britânicas pediram que o governo impedisse Graham de pregar no Reino Unido por causa de declarações dessa natureza.

Em resposta às críticas, os organizadores do Lancashire Festival of Hope disseram que o propósito do evento era "compartilhar a esperança de Jesus Cristo" com o maior número de pessoas possível.

Mas, para muitos LGBTQ e muçulmanos britânicos, essa declaração parece vazia.

(Hoje compartilhei com a população de Blackpool que Deus os ama tanto, que Ele enviou Seu Filho, Jesus Cristo, do Céu para esta terra para morrer por nossos pecados.)

Andrew Page, um dos organizadores do Fim de Semana do Arco-íris, disse ao HuffPost que seu problema não era com o festival, mas sim com o envolvimento de Graham.

"O problema do sr. Graham é que ele costuma dizer coisas que dividem as pessoas, coisas que desumanizam, especialmente em relação à população LGBTQ e aos muçulmanos", afirmou Page por email. "Sua liderança no festival de Blackpool, onde houve muitos trabalho de diálogo entre as religiões e de inclusão de LGBTQs na vida da igreja, coloca em risco os avanços conquistados por várias igrejas locais."

O Fim de Semana do Arco-íris teve o objetivo de mostrar para as pessoas que "podemos fazer uma igreja diferente", afirmou Page.

"Então, de certa forma, é a igreja de sempre: aberta, inclusiva e pronta para apoiar a todos, independentemente de quem sejam", disse Page. "Essa é nossa missão, e vamos continuar com ela muito além deste final de semana."

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.