POLÍTICA
30/09/2018 18:42 -03 | Atualizado 30/09/2018 18:42 -03

Meirelles quer SUS mais eficiente e maior parceria com setor privado

Em seu plano de governo, candidato do MDB cita como prioridade maior investimento por parte do governo federal na saúde pública.

Paulo Whitaker / Reuters
O programa de governo do presidenciável analisa que a saúde pública é ineficiente.

Henrique Meirelles, candidato à Presidência do MDB, quer dar mais eficiência à saúde públicae promover maior integração com estabelecimentos privados.

Em seu plano de governo, Meirelles cita como prioridade maior investimento por parte do governo federal na saúde pública do País, que hoje enfrenta uma "imensa e histórica desigualdade social".

"O Estado tem o dever de curar essa ferida", cobra o texto do MDB. "Temos a obrigação de levar dignidade e respeito a todos que dependem do Sistema Único de Saúde, fortalecendo a saúde preventiva."

O programa de governo do presidenciável analisa que a saúde pública é ineficiente e que dá prioridade ao tratamento da doença, e não do paciente, o que acarretaria em um "enorme custo para o Estado."

"Dados do Banco Mundial mostram que o Brasil poderia aumentar os resultados de saúde em 10% com o mesmo nível de gastos. O estudo também aponta 37% de ineficiência na atenção primária e 71% nos cuidados de saúde secundários e terciários", constatou Meirelles no texto. "Dados do Conselho Federal de Medicina mostram que, nos últimos 13 anos, foram autorizados R$ 80,5 bilhões para investimentos na saúde, mas apenas R$ 33 bilhões foram efetivamente gastos e outros R$ 47,5 bilhões deixaram de ser investidos."

O objetivo do governo, continua o programa, é inverter a lógica e aumentar os investimentos em promoção da saúde e qualidade de vida. "Também é preciso trazer maior eficiência aos gastos do setor."

Por isso, está em seu plano de governo:

  • Ampliar a participação do governo federal no financiamento do setor;
  • Melhorar a aplicação dos recursos, investindo em melhor organização, eficiência e boa gestão do sistema, com critérios de desempenho; maior autonomia hospitalar;
  • Incentivos e planos de carreira; maior integração entre estabelecimentos públicos e privados;
  • Ampliar os serviços de atenção básica e a coordenação das redes de atenção à saúde;
  • Fortalecer e ampliar a cobertura do Programa Saúde da Família;
  • Facilitar o acesso da população a consultas e exames por meio da informatização das unidades de saúde;
  • Promover o saneamento e a recuperação financeira dos hospitais filantrópicos e das Santas Casas;
  • Retomar os mutirões da saúde.