POLÍTICA
26/09/2018 13:34 -03 | Atualizado 26/09/2018 14:27 -03

As propostas de Vera Lúcia para a Educação

“Educação e Saúde não podem ser mercadorias”, decreta a candidata à Presidência pelo PSTU

Divulgação
Candidata à Presidência pelo PSTU quer priorizar a Educação.

A Educação anda de mãos dadas com a moradia e a saúde. Pelo menos no plano de governo da candidata do PSTU à Presidência da República, Vera Lúcia.

Vera Lúcia cita textualmente, no ponto 6 de seu Plano de Governo, que "educação e saúde não podem ser mercadorias. São direitos básicos que todos devem ter acesso".

Para que todos tenham acesso a esses serviços de qualidade, a candidata do PSTU propõe a estatização de escolas e universidades privadas, assim como a de hospitais particulares.

Em outro ponto de seu plano, o de número 10, Vera Lúcia dá a receita que, em sua visão, seria ideal para gerar maiores investimentos em saúde, educação e emprego: a suspensão do pagamento das dívidas interna e externa do Pais e a realização de uma auditoria.

A seguir, a proposta completa de Vera Lúcia para Educação:

É preciso desapropriar os imóveis e terrenos vazios que hoje servem à especulação de grandes construtoras e bancos, e destiná-los à moradia popular, sob o controle dos próprios moradores. É necessário ainda regularizar imediatamente as áreas ocupadas pelo povo pobre e trabalhador, suspendendo todos os despejos. Investir ainda na construção de moradias populares até zerar o déficit habitacional. Educação e saúde, da mesma forma, não podem ser mercadorias. São direitos básicos que todos devem ter acesso. Para isso, é preciso estatizar as escolas e universidades privadas, assim como os hospitais privados, garantindo educação em todos os níveis, e assistência e tratamento médico integral para os trabalhadores e a população pobre. É preciso investir de forma maciça em saúde e educação, revertendo o que hoje vai para o pagamento da dívida aos banqueiros para essas áreas sociais.