POLÍTICA
23/09/2018 17:14 -03 | Atualizado 23/09/2018 17:15 -03

Domingo dos presidenciáveis tem campanha nas ruas e ‘paz’ no hospital

Jair Bolsonaro (PSL) recebeu a visita de Paulo Guedes após declarações polêmicas do conselheiro econômico.

O domingo (23) dos principais candidatos na corrida pela Presidência da República foi mais um dia movimentado para Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Ciro Gomes, Marina Silva e Geraldo Alckmin.

Ainda impedido de sair às ruas por conta do atentado à faca sofrido há cerca de duas semanas, Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas de intenção de voto, segue internado no Hospital Albert Eistein, em São Paulo.

O deputado, que neste domingo retirou um dreno do abdome, recebeu a visita de Paulo Guedes, cotado para ser ministro da Fazenda em um futuro governo.

O encontro serviu para aparar as arestas e colocar um ponto final no mal-estar criado com as recentes declarações de Guedes sobre a intenção de retomar impostos como a CPMF no caso de assumir a pasta após a eleição de Bolsonaro.

De Norte a Sul

Divulgação
Fernando Haddad e Rui Costa, governador da Bahia, durante visita do candidato neste domingo.

O quarteto que briga com Jair Bolsonaro para assumir a cadeira do presidente Michel Temer também teve a agenda lotada, de Norte a Sul do País.

Confirmado como candidato do PT no pleito de 7 de outubro, Fernando Haddad, que foi vaiado durante caminhada pelo centro comercial do Recife no sábado (22), fez campanha em Petrolina, também em Pernambuco, e em Juazeiro, na Bahia, esta na companhia de Rui Costa, governador baiano e candidato à reeleição.

Ciro Gomes (PDT), que tem se colocado como opção da "3ª via" na guerra polarizada entre petistas e apoiadores de Bolsonaro, passou o domingo entre Teresina, capital do Piauí, e Timon, pequena cidade do Maranhão.

Durante a caminhada pelas ruas e a conversa com jornalistas, o candidato voltou a frisar que uma das suas prioridades de governo é quitar os débitos dos aproximadamente 63 milhões de brasileiros junto ao SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) por meio do projeto batizado de Nome Limpo.

Além disso, Ciro frisou que a geração de novos empregos e a educação são os pilares para a retomada do desenvolvimento econômico do Brasil. "As melhores propostas podem ser basicamente resumidas em duas frases: Trabalho para os pais e educação para os filhos".

Se Haddad e Ciro focaram esforços em algumas das regiões mais carentes do País, Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB) passaram o domingo em centros mais desenvolvidos do território brasileiro.

Marina Silva passou boa parte do domingo em Curitiba. Na capital paranaense, a candidata da Rede conheceu pontos turísticos, entre eles o Jardim Botânico, e focou seu discurso no que pretende fazer para retomar o crescimento da economia no País caso seja eleita.

NurPhoto via Getty Images
Marina Silva prometeu incentivar o turismo.

"Vamos investir na construção civil e estimular o turismo, pois é isso o que gera emprego mais rápido", argumentou. "O turismo gera tanto para mulheres quanto para jovens, e é esse o nosso compromisso. Um Brasil que seja cada vez mais fraterno, ético, unido e eficiente".

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin preferiu focar a agenda em um território "amigo". O tucano participou de uma carreta na capital paulista e, ao lado de João Doria, candidato ao governo, foi a São Bernardo do Campo participar de um encontro de lideranças.

Em sua conta no Twitter, Alckmin não perdeu a chance de dar uma cutucada em Jair Bolsonaro e afirmar que o candidato do PSL "sempre votou contra o interesse nacional e a favor do corporativismo".