POLÍTICA
21/09/2018 23:36 -03 | Atualizado 21/09/2018 23:37 -03

Os famosos que votam em Geraldo Alckmin

Candidato do PSDB não tem voto declarado de celebridades, mas “simpatia” de alguns.

Geraldo Alckmin parece não ter cativado eleitores entre os famosos.
Paulo Whitaker / Reuters
Geraldo Alckmin parece não ter cativado eleitores entre os famosos.

A escolha de Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo, como candidato do PSDB às eleições presidenciais, parece ter tirado do partido alguns eleitores cativos em outras eleições.

Ao contrário de Ciro Gomes, Marina Silva, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, que carregam com eles um fiel eleitorado entre as celebridades, Alckmin não conseguiu emplacar sua campanha no meio dos famosos – no meio artístico ou no esportivo.

O ator Ney Latorraca, por exemplo, votou em Aécio Neves nas eleições presidenciais de 2014, mas, até o momento, não definiu se seguirá apoiando o PSDB no próximo pleito.

"Minha decisão vai depender das pesquisas", afirmou, em entrevista recente para o jornal Folha de S. Paulo.

Latorraca também atrelou a forte polarização do cenário político do País ao "mistério" em torno de seu voto.

Colega de profissão de Ney Latorraca, o ator e diretor Juca de Oliveira, que também foi eleitor do PSDB em eleições passadas, seguiu o mesmo tom de discurso. "A democracia não era assim antes", lamentou.

Na tela?

Divulgação
Apresentador é admirador de Alckmin, mas não confirmou voto.


Apesar de não ter declarado abertamente a intenção de votar em Geraldo Alckmin, o apresentador de TV José Luiz Datenachegou a elogiar o ex-governador recentemente, poucos dias antes de anunciar que não iria mais concorrer a uma vaga no Senado.

"Eu não tenho muita coisa a falar do Geraldo, a não ser que é um baita cara honesto. Um cara em quem eu confio de verdade mesmo. É um cara que trabalha como você, é um cara que luta como você. É um cara que erra como você e aprende como você", discursou, sem, no entanto, confirmar se votará no tucano.

A declaração causou estranheza, já que o apresentador tem em seu histórico muitas críticas à gestão de Alckmin à frente do governo de São Paulo.

A mudança de tom pode ter sido causada justamente pela "quase candidatura" de Datena pelo DEM, partido que já havia declarado apoio ao ex-governador.