ENTRETENIMENTO
21/09/2018 13:26 -03 | Atualizado 21/09/2018 15:46 -03

'Game of Thrones': 7 segredos incendiários da série que você desconhecia

Das pesquisas de imagens do 11 de setembro até a verdade sobre as joias da coroa do Rei do Norte, o supervisor de efeitos visuais de 'Game of Thrones', Joe Bauer, conta tudo.

Aquele bumbum era realmente o de Jon Snow?
HBO
Aquele bumbum era realmente o de Jon Snow?

O inverno chegou, acompanhado de uma tonelada de honras para Game of Thrones.

Sete infernos! A sétima temporada da série recebeu nada menos que 22 indicações aos Emmy 2018 (saindo vencedora de 9 delas). Para descobrir como isso aconteceu, fomos falar com o supervisor de efeitos visuais Joe Bauer, que chamaremos de Pai dos Dragões (pelo menos dos dragões criados no computador). Ele explicou ao HuffPost todos os segredos perturbadores e incendiários envolvidos no esforço de criar Westeros na tela.

7. Há uma razão por que as mortes em 'Game of Thrones' são tão perturbadoras: elas são baseadas na realidade.

Às vezes pesquisas sobre Game of Thrones exigem que você investigue coisas que provavelmente não gostaria que figurassem no histórico de seu computador.

"Matei a maioria dos vilões e até alguns dos personagens do bem. Matei Ramsay com os cães, Joffrey com veneno, e tive que fazer pesquisas aprofundadas sobre envenenamento químico e esse tipo de coisa", explica Bauer. "Aqueles olhos arregalados e injetados de sangue, a explosão de veias na pele, o pus líquido saindo pelos poros, tudo isso é baseado na realidade."

É o tipo de informação que quase poderia nos fazer sentir pena de Joffrey. Quase. Mas esta GIF em que ele leva tapas na cara é completamente justificada.

Nosso Pai dos Dragões disse que tudo foi pesquisado minuciosamente, até a parte de "rachar pessoas ao meio", mas que, para ele, a parte que mais o deixou incomodado foi descobrir como criar cavalos mortos-vivos.

"O mais difícil de pesquisar foi a parte sobre os cavalos que os Caminhantes Brancos montam, porque é tão ofensivo assistir a qualquer animal sendo machucado", ele explicou. "Mas na Batalha dos Bastardos, talvez vocês se lembrem, os cavalos colidem e caem e ficam seriamente feridos na sequência, então tivemos que procurar imagens de coisas desse tipo acontecendo com cavalos na vida real. Foi realmente horrível de assistir, mas faz parte do nosso trabalho."

6. Para pesquisar como o a Muralha deveria cair, a equipe olhou imagens do 11 de setembro de 2001.

"Sabíamos que não seria fácil", falou Bauer, aludindo à queda da Muralha no episódio final da sétima temporada. Para essa proeza foi preciso trabalhar com a Rodeo FX, de Montreal, e acertar inúmeros detalhes, desde como o gelo se despedaçaria até a erosão da Muralha a partir do mar.

"Ao longo dos milênios, a água oceânica teria erodido a parte inferior da Muralha", explicou Bauer. "O bater das ondas contra ela a teria corroído. Ela devia congelar, descongelar, congelar e descongelar..."

A estratégia do Rei da Noite para derrubar a Muralha foi a mesma usada para derrubar uma edificação maciça.

"O Rei da Noite e Viserion bombardeiam a Muralha várias vezes para enfraquecê-la. Depois o Rei da Noite se concentra sobre um setor particular para provocar um colapso estrutural, como o conceito empregado para provocar a queda de um edifício", disse Bauer. "Você enfraquece a parte central; o resto acontece mais ou menos como uma reação em cadeia. Determinamos que a parte fraca ficava perto do Castelo de Eastwatch, e depois passamos meses fazendo simulações com a Rodeo para acertar a escala, o peso, o tamanho e a quantidade correta de fragmentação."

"Infelizmente há as mesmas velhas imagens do 11 de setembro que já foram pesquisadas tantas vezes, mas essa foi a maior estrutura que alguém já viu desabando, então precisávamos olhar para ver o que ficaria suspenso no ar, versus todo o material que caía ao chão e se espalhava pelos dois lados", revelou Bauer. "Depois tivemos que calcular o espaço que deixaríamos aberto para o exército dos mortos passar, porque haveria tantos escombros que eles funcionariam praticamente como outra muralha, então fizemos boa parte dos escombros caírem no mar. Foi uma questão de tentar fazer isso de uma maneira que fosse fisicamente correta."

5. Viserion quase ficou com a aparência semelhante ao Rei da Noite, mas em vez disso acabou mais parecido com um vampiro.

HBO
Viserion being a very good boy.

O Pai dos Dragões criados por computador disse que a ideia original era que Viserion tivesse "algumas das características" do Rei da Noite.

"Tivemos que ir mais além digitalmente, acrescentar uma espécie de camada de gelo e lhe dar um tipo de translucidez gelada", explicou Bauer.

Ele acrescentou mais tarde: "Usamos um dos modelos de dragões da sexta temporada, quando Tyrion liberta os dragões, que estavam sem comer porque Dany estava longe e eles estavam rejeitando alimentos. Nós os deixamos magérrimos, esqueletais, e achamos que esse seria um look bacana para Viserion."

A ideia não funcionou exatamente assim, porque no final os criadores da série, Dan Weiss e David Benioff, acharam que seria um pouco fantástico demais. Em vez disso, Viserion ganhou um pouco de inspiração morta-viva.

"Dei aos animadores a ideia de emular Nosferatu, um filme alemão de vampiros anterior a Drácula, portanto, com os ombros para cima e a cabeça para baixo", disse Bauer. "É um pouco como uma aranha com as pernas encolhidas, restritas e sem flexibilidade nos movimentos. Como uma aranha ressecada – foi mais ou menos assim que descrevi. Por isso quando vemos Viserion voando ou atacando, seus ombros estão altos e seu pescoço está para baixo. Seus membros estão encolhidos, como se ele estivesse num estado de rigidez cadavérica."

4. Os dragões foram inspirados em parte nos guerreiros maoris da Nova Zelândia.

HBO
Drogon making an entrance.

Bauer não foi o Pai dos Dragões desde o início. Ele começou a trabalhar em Game of Thrones na terceira temporada e queria deixar os dragões mais agressivos, então pesquisou fotos de dragões de Komodo, sapos, lagartos, morcegos, águias, corujas – tudo. Mas animais apenas não seriam o bastante.

"Eles não são simplesmente lagartos – são dragões. Então tínhamos que lhes dar outras habilidades", ele explicou. "Eu estava pesquisando os guerreiros maoris, e o que eles fazem virou popular nos colégios: os atletas arregalam os olhos, põem a língua para fora e ficam com cara realmente assustadora. Eu quis que os dragões tivessem essa qualidade quando entravam em modo ataque."

Tim Graham via Getty Images
A Maori warrior in New Zealand gives a traditional challenge.

"Fizemos um trabalho intensivo em cooperação com uma firma alemã, a Pixomondo, que desenvolveu os dragões conosco. Empurramos os dentes deles para fora, como um grande tubarão branco, e deixamos seus olhos arregalados. Também estendemos suas barbatanas para fora. Isso é algo muito comum na natureza: a postura de ameaça."

3. Drogon provelmente não conseguiria voar na vida real. Lamentamos.

Enquanto os dragões foram ficando maiores, era importante que continuassem proporcionais. Mas, mesmo com as proporções corretas, um Drogon da vida real teria dificuldade em sair do chão.

"Tínhamos na equipe um cara especializado em criar dragões. Seu nome é Dan Catcher e ele não cria apenas dragões, mas tem uma visão muito lógica do que cresce, do que continua menor, do tipo de corpo que manteria os dragões no ar. Ele jura de pé junto que um dragão do tamanho de Drogon jamais conseguiria levantar voo, por causa da massa necessária para conservá-lo no ar", falou Bauer.

É por isso, ele explicou, que muitas vezes vemos Drogon decolando de um penhasco e porque ele corre para ganhar ímpeto para alçar voo quando está fugindo do Rei da Noite, na sétima temporada. Drogon alçando voo é "mais ou menos como o filme 'O Voo da Fênix'", ele disse, em que não se sabe se o avião vai funcionar.

Descrevendo a decolagem desajeitada de Drogon durante a fuga do Rei da Noite, Bauer comentou; "Dan e David tinham escrito que havia sete personagens sobre as costas dele, então tínhamos uma razão visual da decolagem ser difícil, mas isso deixou a cena mais dramática."

2. Alguns dos esqueletos mais icônicos do filme aparecem de relance.

De "A Princesa Prometida" até O Senhor dos Anéis, Game of Thrones desfia mais referências do que os vidros de condicionador capilar de Jon Snow. Bauer explicou uma homenagem particular no episódio final da quarta temporada, The Children.

"Dan Weiss e David Benioff nos disseram que na realidade iam incluir a homenagem na terceira temporada e disseram 'peraí, na temporada quatro vamos fazer os esqueletos de Ray Harryhausen", disse Bauer.

Entre os personagens mais icônicos criados pelo mestre de efeitos visuais Ray Harryhausen estão os esqueletos que saem do chão no filme de 1963 Jasão e os Argonautas. É uma cena espelhada quando os wights atacam Bran e seus amigos na final da quarta temporada. (Descanse em paz, Jojen.)

Os resultados finais foram alcançados de maneiras diferentes: Harryhausen usou stop-motion e Game of Thrones trabalhou com dublês usando figurino verde e roupas com aparência podre. Mas, disse Bauer, "quando foi a hora de os wights saírem do chão, fizemos uma homenagem inequívoca. As técnicas que usamos foram diferentes, mas nossos designs são semelhantes: ambos são muito agressivos."

1.Aquele era realmente o bumbum de Jon Snow no episódio final? Pode apostar que sim.

HBO
But was that Jon Snow's butt?

O Pai dos Dragões explicou vários dos segredos da série, mas faltava um mistério que o mundo precisava decifrar.

Kit Harington recorreu a um dublê na final da sétima temporada, quando Jon Snow finalmente transa com Khaleesi? Ou será que a série expôs realmente a "fronteira sul" do Rei do Norte?

"Kit tem um corpo escultural. Que eu saiba, nunca usaram um dublê de corpo nas cenas dele", disse Bauer.

Uau. A verdade foi revelada. Khaleesi não quer saber de nada que não seja legítimo!

Saudações ao Rei dos Agachamentos!