POLÍTICA
19/09/2018 13:09 -03 | Atualizado 19/09/2018 13:09 -03

Alvaro Dias X Bolsonaro X Alckmin: ‘Voto útil é voto inútil’

Campanhas de Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) miram nos votos do candidato do Podemos. Para Dias, candidato do PT é 'porta-voz da tragédia'.

Adriano Machado / Reuters
Para Alvaro Dias, as pesquisas de opinião pública induzem ao voto equivocado.

Candidato do Podemos à Presidência da República, Alvaro Dias atacou nesta quarta-feira (19) seus principais adversários, tanto o líder nas pesquisas Jair Bolsonaro (PSL) e o tucano Geraldo Alckmin -- ambos que esperam conquistar seus votos -- quanto o petista Fernando Haddad, em segundo na preferência do eleitorado, de acordo com Ibope.

No momento, em que aliados de Bolsonaro - que apostam no voto anti-PT - contam com a migração de votos de Dias para vencer no primeiro turno e Alckmin mira no mesmo eleitorado para chegar ao segundo turno, o candidato do Podemos dispara contra os estrategistas: "voto útil é voto inútil".

"Tenho o maior respeito pelo Geraldo, mas soube agora que há uma inserção na propaganda eleitoral na qual ele diz que votar no Alvaro é ajudar o PT. É a estratégia velha, surrada e incompetente do voto útil", disse Dias, na sabatina presidencial Amarelas ao Vivo, promovida pela revista Veja.

É contra essa tática das campanhas que Dias afirma ser favorável ao voto facultativo. "Defendo o direito do eleitorado de sequer sair de casa se não tem nenhum candidato que reflita suas ideias", explica. Segundo ele, não é o povo que não sabe votar, são os políticos que não sabem oferecer alternativas. O senador pelo Paraná disse ainda que se não puder contribuir para mudar a realidade brasileira, vai embora porque "não tem mais o que fazer".

Bolsonaro

Vítima de uma facada no último dia 6 e em recuperação no hospital, Bolsonaro, para Dias, é incapaz de comandar o País.

"Quando Bolsonaro se preparou o que ele se preparou, ele foi síndico do prédio que ele mora? Ele foi cogitado para ser prefeito de sua cidade? Foi cogitado para ser governador de seu estado? Em décadas, o que ele produziu? Ele administrou alguma coisa? Foi bem-sucedido? Tem experiência? O Brasil não pode brincar nessa hora essencial."

Bolsonaro tem experiência? O Brasil não pode brincar nessa hora essencial.

Disse ainda esperar que o candidato do PSL se recupere. "Que Deus o livre desse mal e que ele possa curtir a vida nas praias cariocas, mas governar o Brasil é para gente competente", finalizou.

Haddad

Já Haddad foi considerado o "porta-voz da tragédia".

"Porta-voz da filosofia do fracasso, da crença na ignorância. É o porta-voz dos representantes daqueles que distribuem a pobreza para todos e a riqueza para seus líderes. Esse é o PT, nós já conhecemos. Queremos caminhar para a Venezuela ou para a França, Inglaterra, Alemanha, como modelo? A decisão é do eleitor."

Haddad é porta-voz da filosofia do fracasso, da crença na ignorância.

O candidato se nega a dizer se apoiaria algum candidato no segundo turno. "Eu não falo sobre previsão, eu falo sobre realidade. Essa eleição vai ser definida na última semana. As pesquisas de opinião pública induzem ao voto equivocado, elas erraram nas últimas eleições", argumenta.

Em 2014, a pesquisa boca de urna do Ibope indicou 44% das intenções de voto em Dilma Rousseff (PT) e 30% em Aécio Neves (PSDB). Dilma teve 41,6% dos votos válidos e Aécio, 33,5%.