COMPORTAMENTO
14/09/2018 20:03 -03 | Atualizado 14/09/2018 20:03 -03

8 coisas que homens se arrependem sobre o divórcio

Ao olhar para o passado, eles revelam onde erraram e o que aprenderam.

Jamie Grill via Getty Images
Isso é o que os ex-maridos gostariam de corrigir se tivessem uma segunda chance.

Depois do fim do casamento, quando passou um tempo e você consegue olhar para o passado com distanciamento, é hora de lentamente começar a ver onde as coisas deram errado.

Seus próprios erros e defeitos ― coisas que você fez ou deixou de fazer, coisas que você disse ou deixou de dizer ― ficam muito mais claros, e a esperança é que você tire lições importantes para os relacionamentos futuros.

Pedimos que homens divorciados nos contassem algumas das coisas que eles gostariam de ter feito diferente, na época em que ainda eram casados. Eis o que eles nos contaram.

Queria ter ido para a cama na mesma hora que minha mulher.

"Antes mesmo de começarmos a dormir em quartos separados, não íamos para a cama na mesma hora. Não estou dizendo que paramos de transar, estou dizendo que não íamos dormir na mesma hora. Eu ficava acordado até tarde e descomprimia assistindo TV, e ela ia para a cama num horário que eu achava cedo demais. Aprendi que existe um certo tipo de proximidade ligada a terminar o dia juntos. Deitar junto e falar o que vem à cabeça no fim de um longo dia é um tipo de ligação todos deveríamos almejar." -- Adam Petzold

Queria ter me esforçado mais para salvar o relacionamento enquanto ainda era tempo.

"Meu maior arrependimento desde o início do meu processo de divórcio, há três anos, é não ter tentado um pouco mais antes que as coisas chegassem a esse ponto. Fiquei acomodado, distante e não me importava mais. O divórcio pode ter sido a escolha certa em retrospectiva, mas lamento que as coisas tenham terminado assim. Sim, estávamos infelizes no casamento, mas meus filhos e a vida familiar 'normal' nunca serão os mesmos, e talvez eu pudesse ter evitado isso tudo." - Derick Turner

Queria ter falado mais em vez de guardar meus sentimentos para mim.

"São muitas as coisas que eu poderia ter feito melhor, mas se tivesse de escolher apenas uma, é o fato de não falar sobre meus arrependimentos. Isso vale para algo sério, como a decisão de morar juntos mesmo que eu não estivesse pronto, ou algo menos intenso, como comer o brócolis dela mesmo que sentisse vontade de vomitar. Eu achava que expressar meus sentimentos seria um tipo de deslealdade. Em retrospecto, porém, vejo que expressar meus verdadeiros sentimentos teria sido mais sincero. E os casamentos não são nada sem sinceridade. Explicar imediatamente sua decepção com uma decisão pessoal te faz transparente e pode solidificar os laços com a outra pessoa. Ficar em silêncio sobre seus arrependimentos mostra uma falta de confiança que acaba destruindo o relacionamento." - Craig Tomashoff

Queria ter esperado mais para casar.

"Eu não teria me casado tão jovem. Sendo direto, eu não tinha ideia de quem eu realmente era, então ser 'verdadeiro' comigo mesmo teria sido impossível. Casei muito cedo e ainda estava tentando encontrar meu norte. Devido a muitos problemas da minha família quando eu era criança, minha situação emocional era mais bagunçada do que eu poderia imaginar. De muitas maneiras, ao chegar aos 20 e poucos anos, minha alma continuou vivendo numa espécie de guerra civil, não como a bússola que deveria ter sido na minha vida.

Por causa do ambiente em que cresci, aprendi muito cedo a fingir que tudo estava bem. Isso não era emocionalmente saudável para mim, e era completamente injusto com minha jovem esposa naquela época. Com o passar dos anos, comecei a entender quem eu era e que partes de mim nunca iriam mudar. Sinceramente, nós dois acabamos virando as pessoas que estávamos destinados a ser. E essas pessoas acabaram sendo grandes amigos, não parceiros em um relacionamento." - Michael Cheshire

Queria ter sido honesto sobre meus medos e dificuldades pessoais.

"Gostaria de ter sido mais transparente sobre meus desafios como homem, como pai e como marido. Guardava pensamentos negativos e medos dentro de mim, o que não resultou em nada positivo. Queria o melhor para ela e para nós, mas mantê-la protegida de certos problemas não foi a decisão correta. Ela achava que tudo estava bem, e eu me isolei emocionalmente. Um relacionamento verdadeiramente sólido depende de comunicação aberta, sem medo de retaliação. É preciso amar e respeitar a si mesmo, assim como ao parceiro, e isso inclui falar abertamente dos medos e desafios." - Bill Douglas

Queria ter sido mais participativo.

"Quando nos casamos, minha (agora ex) mulher nos sustentou enquanto eu estava começando minha carreira. Por causa disso, eu fiquei no banco do passageiro em termos da tomada de algumas decisões. Quando as coisas deram certo e comecei a me dar bem profissionalmente, esperava que as coisas fossem um pouco mais igualitárias. Mas não era para ser. Aquela dinâmica original estava cristalizada, e ela continuou sendo muito dominante. Totalmente minha culpa – não tive forças desde cedo para afirmar meu valor e meu papel no relacionamento, independentemente da contribuição financeira. Duvido que teria mudado o resultado final, mas poderia ter sido um casamento mais agradável (pelo menos para mim) enquanto estávamos juntos."- Barry Gold, autor de Gray Divorce Stories

Queria tê-la escutado de verdade.

"O divórcio foi um despertar doloroso para mim. Foi só então que fui honesto em relação à pessoa que eu apresentava (ou não apresentava) para a minha esposa. Quando olho para trás, vejo milhares de erros que cometi ao longo de 16 anos. A maioria foram pequenos erros. Alguns foram grandes. Mas o que mais me custou foi minha incapacidade de realmente ouvir. Não percebi que a maior necessidade da minha esposa era sentir-se ouvida, validada e compreendida. Em vez disso, toda vez que ela ficava chateada, eu ficava na defensiva, tentava consertar as coisas, ou então me afastava e a evitava, esperando que ela superasse o problema. O que eu não percebi na época foi o quanto meu orgulho e incapacidade de entender o ponto de vista dela custou em termos de intimidade e confiança. Realmente acredito que, se tivesse sido mais presente e mais respeitoso com seus sentimentos dela, teríamos superado os altos e baixos. Mas, como não fiz dela minha maior prioridade, acabei perdendo-a para sempre." - Gerald Rogers

Queria ter assumido minha parte da responsabilidade em alguns dos nossos problemas.

"Meu maior arrependimento é minha falta de autoconsciência e a incapacidade de me comunicar. Nunca parei para pensar por que sentia certas emoções ou dizia certas coisas. Eu era basicamente reativo, e não dá para ser assim, ou você sempre vai passar pelos mesmos problemas. Só quando me esforcei para aprender a me comunicar que percebi claramente minha parcela de responsabilidade. O casamento poderia não ter durado mesmo assim, mas teria evitado ressentimentos animosidade. Quando você não tem autoconsciência e não se comunica bem, as coisas se transformam em uma luta de poder: quem tem mais necessidades e quem não está sendo atendido." - Billy Flynn

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.