POLÍTICA
17/09/2018 15:20 -03 | Atualizado 17/09/2018 15:20 -03

Biometria: Como vai funcionar o sistema nas eleições de 2018

Cerca de metade do eleitorado brasileiro já está apta a votar utilizando o recurso.

Divulgação
Sistema de biometria já pode ser utilizado por mais de 50% da população apta a votar.

Utilizada pela primeira vez em uma eleição presidencial em 2014, a biometria eleitoral ainda não está disponível em todos os municípios brasileiros, mas, em 2018, já poderá ser utilizada por boa parte da população.

Se há 4 anos o total de eleitores com identificação digital em municípios com reconhecimento biométrico era de 21,7 milhões de pessoas (15,2% do eleitorado), hoje o número é significativamente maior: 73,7 milhões de eleitores — 50% da população apta a votar no País.

Há ainda um número maior de pessoas já cadastradas no sistema (87 milhões), mas parte delas não está em cidades com reconhecimento das digitais disponível para as eleições gerais de 2018.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a meta é identificar 100% dos eleitores por meio da biometria digital até 2022.

O que é biometria?

É o sistema que dá ainda mais segurança ao eleitor na hora da votação. Quando previamente cadastrado, o cidadão utiliza a digital para votar.

Conectado à urna eletrônica, o sistema confere se a impressão digital do eleitor bate com a que está no banco de dados da Justiça Eleitoral e permite o voto sem a necessidade de assinar o comprovante em papel.

Caso ocorra algum problema e a identificação digital não bata, o mesário verifica novamente a documentação do eleitor e libera a votação com código próprio.