POLÍTICA
10/09/2018 21:02 -03 | Atualizado 10/09/2018 22:36 -03

Datafolha: Bolsonaro, 24%, Ciro, 13%, Marina, 11%, Alckmin, 10%, e Haddad, 9%

Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) iriam para o 2º turno se a eleição fosse hoje.

Datafolha mostra na sequência Bolsonaro, Ciro, Marina, Alckmin e Haddad.
Montagem/AFP/Getty Images
Datafolha mostra na sequência Bolsonaro, Ciro, Marina, Alckmin e Haddad.

A primeira pesquisa Datafolha após o início do horário eleitoral na TV e o atentado contra o candidato Jair Bolsonaro foi divulgada pelo Jornal Nacional no início da noite desta segunda-feira (10). A menos de um mês para o dia da eleição, é justamente o capitão da reserva quem está na liderança da preferência do eleitorado, com 24% das intenções de voto.

Bem atrás de Bolsonaro, o 2º lugar na pesquisa é Ciro Gomes, com 13%. Ele teve crescimento de 3 pontos percentuais. A pesquisa mostra que hoje Bolsonaro e Ciro iriam para o 2º turno.

Há um empate técnico entre Ciro e os candidatos que aparecem na sequência: Marina Silva, com 11%, Geraldo Alckmin, com 10%, e Fernando Haddad, com 9%. Haddad deverá substituir o ex-presidente Lula na chapa do PT. O registro da candidatura de Lula foi impugnado no último dia 31. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deu até esta terça-feira (11) para o partido escolher seu candidato.

O Datafolha entrevistou 2.804 eleitores em 197 municípios brasileiros nesta segunda-feira. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.

A seguir, o resultado desta rodada do Datafolha. Entre parênteses, a oscilação em relação à pesquisa anterior, em pontos percentuais:

Jair Bolsonaro (PSL): 24% (+2)

Ciro Gomes (PDT): 13% (+3)

Marina Silva (Rede): 11% (-5)

Geraldo Alckmin (PSDB): 10% (+1)

Fernando Haddad (PT): 9% (+5)

Alvaro Dias (Podemos): 3% (-1)

João Amoêdo (Novo): 3% (+1)

Henrique Meirelles (MDB): 3% (+1)

Vera Lucia (PSTU): 1% (=)

Cabo Daciolo (Patriota): 1% (=)

Guilherme Boulos (PSol): 1% (=)

João Vicente Goular (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

O índice de votos brancos e nulos caiu de 22%, em agosto, para 15%. A proporção de indecisos se manteve estável: era de 6% em agosto e agora é de 7%.

Os números demostram um crescimento expressivo de Fernando Haddad: de 4% para 9%. Marina teve uma queda substancial: de 16% para 11%. Bolsonaro teve uma oscilação positiva, dentro da margem de erro, de 22% para 24%. E Alckmin também oscilou positivamente, de 10% para 11%.

Essa rodada da pesquisa Datafolha é uma parceria do jornal Folha de S.Paulo com a TV Globo.