POLÍTICA
08/09/2018 14:15 -03 | Atualizado 08/09/2018 14:17 -03

Após ataques a Bolsonaro na TV, Alckmin diz que está orando por ele no horário político

O tom da propaganda de hoje é completamente diferente dos outros vídeos da campanha do tucano, que constantemente atacavam o adversário.

O presidenciável do PSDB Geraldo Alckmin mudou o tom de sua campanha no horário eleitoral deste sábado (8) após o ataque a Jair Bolsonaro ocorrido na última quinta-feira (6) em Juiz de Fora, Minas Gerais.

No início de sua propaganda eleitoral na tarde de hoje, Alckmin diz que "nada justifica a violência" e que ele e sua família estão "orando pela recuperação de Jair Bolsonaro", candidato a presidente pelo PSL. Após o breve vídeo, a campanha continuou sem citar Bolsonaro, que está internado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e se recupera "em boas condições clínicas", segundo boletim médico mais recente divulgado pelo hospital Albert Einstein.

O tom da propaganda de hoje é completamente diferente dos outros vídeos da campanha do tucano, que constantemente atacavam o adversário.

Na primeira propaganda eleitoral do PSDB, divulgada em 31 de agosto, Alckmin criticou fortemente a principal bandeira de Bolsonaro, que é a liberação de arma de fogo para a população. Inspirado na campanha inglesa "Kill the gun" (Mate a arma, em tradução livre), o vídeo mostra uma bala atravessando copo de leite, garrafa de água, frutas, entre outros objetos que simbolizariam desemprego, saneamento, fome e demais problemas que o País enfrenta.

Por fim, o vídeo diz: "Não é na bala que se resolve", em referência às propostas de Bolsonaro.

Em outro vídeo postado nas redes sociais, Alckmin ataca Bolsonaro sobre como ele trata as mulheres, exibindo vídeos que circulam nas redes sociais do candidato do PSL discutindo com mulheres.

Desde que Bolsonaro foi esfaqueado, contudo, o tom do tucano é outro. Na quinta-feira, Alckmin disse no Twitter que "política se faz com diálogo e convencimento, jamais com ódio" e repudiou o ato de violência contra o adversário.

Hoje, logo após o início de sua campanha eleitoral na TV, Alckmin voltou a pedir um país pacificado.

Estado de saúde de Bolsonaro

O candidato do PSL se mantém "consciente e em boas condições clínicas" na UTI do Hospital Albert Einstein, conforme divulgado nesta manhã o último boletim médico do hospital. Hoje, ele se sentou pela primeira vez e posou para uma foto com o conhecido gestor de arma.

"Meu pai segue evoluindo e começou agora a fisioterapia", escreveu o filho do deputado, Flavio Bolsonaro. "Muito obrigado a todos pela força e pelas orações!". Como Bolsonaro permanecerá no hospital nos próximos dias, Flavio vai assumir a agenda do pai.