POLÍTICA
07/09/2018 11:23 -03 | Atualizado 07/09/2018 11:32 -03

Velas, bandeira do Brasil e camiseta partidária: A vigília por Jair Bolsonaro

Candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro teve a agenda interrompida em Juiz de Fora (MG) após ter sido esfaqueado na tarde desta quinta-feira (6).

Paulo Whitaker / Reuters
Uma mulher, envolvida com a bandeira do Brasil e camiseta de apoio a Jair Bolsonaro faz vigília em Juiz de Fora.

Com velas, bandeira do Brasil e camiseta de 'Bolsonaro presidente', apoiadores montaram vigília pela saúde do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, na madrugada desta sexta-feira (7). O deputado teve a agenda interrompida em Juiz de Fora (MG) após ter sido esfaqueado na tarde desta quinta-feira (6).

Além da vigília, entre a tarde desta quinta-feira (6) e a manhã desta sexta-feira (7), eleitores dele subiram a hashtag #ForçaBolsonaro, que chegou aos trending topics no Twitter. Boa parte dos militantes culpa a "esquerda" pelo ataque a Bolsonaro.

O deputado foi atingido por uma faca na barriga durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) nesta quinta-feira (6). O agressor, identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso e disse que agiu por motivação pessoal e "a mando de Deus". A Polícia Federal investiga a possibilidade de envolvimento de uma segunda pessoa.

Paulo Whitaker / Reuters
Pessoas acendem velas e fazem oração na frente da Santa Casa em Juiz de Fora (MG).

Em vídeo gravado na Santa Casa de Juiz de Fora (MG) na madrugada desta sexta-feira (7) pelo senador Magno Malta (PR), o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) aparece falando pela primeira vez após o ataque que sofreu nesta quinta-feira (6), em evento de campanha. Ele agradece a Deus e afirma que se se preparava para os riscos da campanha eleitoral.

"Até o momento, Deus quis assim. Eu me preparava para um momento como esse porque você corre riscos. Mas, de vez em quando, a gente duvida, né! Será que o ser humano é tão mau assim? Nunca fiz mal a ninguém", disse.

Após passar por cirurgia e atingir o quadro considerado "extremamente estável", o candidato à Presidência pelo PSL foi transferido na manhã desta sexta-feira (7) para o Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo.

Segundo o G1, o hospital afirma que a transferência ocorreu bem e que os principais riscos que serão monitorados são pneumonia (pois o candidato ficou muito tempo em choque e perdeu cerca de 2 litros de sangue) e infecção (por causa do vazamento de massa fecal na cavidade abdominal).

Paulo Whitaker / Reuters
Apoiadoras estendem bandeira do Brasil em apoio a Jair Bolsonaro na frente da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG).

O ataque

Após ser atingido durante evento de campanha, Bolsonaro foi encaminhado para o hospital, e o suspeito foi detido. De acordo com a Santa Casa de Juiz de Fora, o candidato deu entrada no hospital com sinais de choque e forte hemorragia. Ele teve lesão de uma veia do abdômen, lesão grave no cólon transverso e no intestino grosso. Foi feita uma ressecção da lesão e foi colocada uma colostomia (que é a exteriorização do intestino grosso).

A cirurgia durou cerca de duas horas, mas ainda há risco de infecção. Além de ficar em observação por até 10 dias, ele precisará de um período de repouso depois. Bolsonaro deverá ainda passar por outra cirurgia por causa da colostomia. A expectativa é que a cirurgia para retirada do procedimento ocorra em até dois meses.

Paulo Whitaker / Reuters
Apoiadores acendem velas em apoio a Jair Bolsonaro.

Por se tratar de candidato à Presidência, o caso será investigado pela Polícia Federal, informa o órgão. A PF em Juiz de Fora se reuniu com polícias Civil e Militar. O agressor confesso foi interrogado na tarde desta quinta. Em nota, a Polícia Federal informou que será instaurado um inquérito para investigar o caso. Foi preso em flagrante Adelio Bispo De Oliveira, de 40 anos.

"A Polícia Federal informa que o candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro, contava com a escolta de policiais federais quando foi atingido por uma faca durante um ato público na cidade de Juiz de Fora/MG. O agressor foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da PF naquele município. Foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do fato."

No fim da tarde, em nota, a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora informou que "o paciente Jair Messias Bolsonaro deu entrada no hospital por volta das 15h40 com uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen". "Ele foi atendido na urgência, passou por um exame de ultrassonografia e agora está no Centro Cirúrgico", completa.

Ricardo Moraes / Reuters
Movimentação na frente da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG).

Com a retirada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da corrida presidencial, Bolsonaro lidera as pesquisas. Ele tem 22% de intenções de voto, de acordo com sondagem do Ibope, divulgada na quarta-feira (5).

Há um empate técnico triplo no 2º lugar: Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) têm 12%, Geraldo Alckmin (PSDB), 9%. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.