ENTRETENIMENTO
05/09/2018 14:03 -03 | Atualizado 05/09/2018 15:15 -03

Beatriz Segall, atriz de 'Vale Tudo', morre aos 92 anos em São Paulo

Estrela da novela "Vale Tudo", da Rede Globo, estava internada no Hospital Albert Einstein. A causa da morte não foi divulgada.

Beatriz Segall na novela 'Sol de Verão', em 1972, da Rede Globo.
Reprodução/Memória Globo
Beatriz Segall na novela 'Sol de Verão', em 1972, da Rede Globo.

A atriz Beatriz Segall, que tinha mais de 70 anos dedicados aos palcos e à televisão brasileira, morreu nesta quarta-feira (5) aos 92 anos, em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Albert Einstein. A causa da morte não foi divulgada.

Segundo o G1, desde o dia 17 de agosto a atriz estava internada em São Paulo. No dia 24, segundo o Estadão, a atriz teve alta. Porém, a família pediu sigilo e privacidade em relação ao motivo da internação e o período de sua estadia no hospital. Por esse motivo, não foram divulgados boletins médicos e a causa da morte ainda não é conhecida.

Nos últimos anos, a atriz se machucou gravemente em duas ocasiões.

Em 2013, tropeçou em pedras portuguesas soltas em uma calçada da Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, e ficou pelo menos 20 dias em casa para se curar de um grande hematoma em seu rosto. À época, o ex-prefeito Eduardo Paes pediu desculpas à atriz.

Em 2015, a atriz caiu do palco durante a apresentação da peça Nine - Um Musical Feliniano, em São Paulo. Ela passou por uma cirurgia no braço direito e acabou substituída no espetáculo.

Reprodução/Memória Globo
Beatriz Segall como Odete Roitmann, em Vale Tudo.

A carioca nascida em 25 de julho de 1926, marcou a teledramaturgia brasileira com sua atuação como Odete Roitman, em Vale Tudo, de1988. Sua estreia na Globo foi em 1978 em Dancin'Days.

Mas foi ao interpretar a vilã Odete Roitman que a carreira de Beatriz Segall criou uma marca.

Até quem nasceu depois dos anos 90 conhece o clássico bordão, "Quem matou Odete Roitmann?", que foi adaptado por tantas outras narrativas de assassinatos misteriosos em outras novelas.

A associação com a sofisticada personagem escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères foi tanta que Segall passou a receber apenas convites para papéis refinados, como o de Odete.

"Odete Roitman é uma personagem que vai ficar na história; não por um valor meu, mas por tudo o que a novela reuniu. Até hoje eu sou chamada de Odete na rua. Em Cuba me chamaram de Dona Odete", disse a atriz à Memória Globo.

"Criou-se um mito, que atrapalha um pouco, de sempre fazer papel de chique, de bem-vestida. Eu queria fazer o papel de uma mulher bem povão, mas o público não aceitou", completa.

Reprodução/Memória Globo
Beatriz Segall em 'Lado a Lado, um de seus papeis mais recentes na televisão, em 2012.

Em entrevista ao programa Provocações, da TV Cultura, em 2014, Segall abordou a questão da velhice na teledramaturgia brasileira.

Questionada por Antônio Abujamra se ela ainda era escolhida para viver novos papéis na televisão respondeu:

"O Brasil é um país onde os velhos têm muitas concessões e direitos. Eu viajo um pouco e vejo que em outros países não há essa consideração com os velhos. Mas por outro lado, em teatro, cinema e televisão os velhos não têm muita vez. Não são muito chamados, não são muito úteis, não são muito necessários. Então, eu realmente não recebo muitos convites não."

A última participação da atriz na TV foi na série Os experientes, em 2015.